Ponte dos sonhos



Claro que não existe uma receita ou manual que ajude um time a escapar da zona de rebaixamento ou a conquistar um título. Se existisse, a Ponte, que faz ótima campanha do Paulista, não estaria cumprindo fielmente as dicas para ser campeão. Azar do manual. O que verdadeiramente importa para o torcedor é que a chance existe e parece cada vez mais viva.

Não é comum um time campeão em um campeonato curto – foram disputadas apenas 15 partidas no Paulista – ter três treinadores diferentes. Mas a Ponte parece estar disposta a subverter regras de um suposto manual.

E tem sido encantador. O time faz questão de se matar em campo. Os jogadores sabem que a chance está aí e valorizam o sofrimento e o desejo do torcedor.

Com desfalques, com problemas e também com bastante aplicação, a Ponte faz uma campanha sólida. Foi segundo lugar no grupo do Santos, mas teve a mesma pontuação com uma vitória a menos.

Como se não bastassem as trocas de técnico, a Ponte negociou, durante a competição, o artilheiro William Pottker com o Inter. Rasgou totalmente o tal do manual.

O título, sonho antigo, pode ou não vir, mas é certo que a Ponte voltou a disputar. Voltou a entrar para ganhar. E, como diria o cineasta atleticano Lobo Mauro, ‘Quando se Sonha Grande, a Realidade Aprende.’



  • hodair silva

    PONTEEEEEEEEEEEEE
    MACACA QUERIIIIIIIIIIIIIIIIIIDA
    AMOR DA MINHA VIIIIIIIIIIIIIIIIDA
    SOU LOUCO POR VOCÊÊÊÊÊÊÊ

MaisRecentes

Caiu no Horto…



Continue Lendo

Lucão não errou sozinho



Continue Lendo

Dá para contar com Walter?



Continue Lendo