Kazim ou Jô?



Quem deve ser o titular no comando do ataque do Corinthians? A pergunta feita no início do ano dividia as opiniões. Imaginando que Fábio Carille vá mesmo manter o time funcionando com um atacante mais fixo perto da área, Jô e Kazim não estarão juntos em campo e, consequentemente, um disputa a vaga com o outro.

Hoje, após doze jogos oficiais, Jô parece ter mesmo assumido a posição no ataque do Corinthians.

Kazim e Jô são praticamente da mesma idade e são experientes e vividos no futebol. As características de jogo não são tão diferentes – os dois preferem jogar mais perto do gol adversário. Jô é visto várias vezes dando combate em uma linha defensiva e Kazim também ajuda.

Outra semelhança entre eles é a movimentação. Sim, Jô abre mais, sai mais da área e acaba participando mais do jogo, mas não dá para falar que Kazim não se esforça para ajudar na movimentação.

Se as características não são tão diferentes assim, por onde passa a escolha por um e não o outro? Pela bola! Jô é mais jogador. Kazim é carismático e também já fez gol, mas é inferior a Jô.

Reserva de Fred na Copa do Mundo, Jô foi queimado junto com diversos outros jogadores daquela seleção. Artilheiro da Libertadores de 2013, Jô ajudou a queimar a sua imagem quando deixou de ser profissional. E ele sabe disso.

O comprometimento que o atacante do Corinthians tem mostrado até agora é elogiável. O grande problema é que Jô tem fama e tem com justiça. O próprio camisa 7 já falou algumas vezes da falta de seriedade que marcou boa parte da sua vida profissional. Enquanto ele se mostrar sério e confiável, na minha avaliação, Jô merece ser o titular do Corinthians.



MaisRecentes

Empate que serve como puxão de orelha



Continue Lendo

Bélgica sobra contra uma frágil Costa Rica



Continue Lendo

Galo vence e atinge melhor pontuação dos últimos três anos



Continue Lendo