Palmeiras sofre, mas vence a primeira



Se Palmeiras e Jorge Wilstermann jogarem outras tantas vezes por qualquer competição, o Palmeiras vai continuar como favorito. Entretanto, o primeiro tempo do jogo terminou com um incômodo placar em branco.

O Palmeiras finalizou muito mais e perdeu chances mais claras com Borja, mas teve muitas dificuldades para fazer fluir o melhor de seu futebol.

Não era fácil achar os espaços e seria necessário ter paciência. O Palmeiras trocava passes – foram 282 contra 61 dos bolivianos no primeiro tempo -, mas muitas vezes não conseguia trocar passes rápidos e curtos para abrir a defesa.

Dentro da proposta de cada um, o Jorge Wilstermann foi melhor. Não era objetivo do time dos Aviadores sair com uma brilhante exibição. Para eles, um empate em zero a zero estava de muito bom tamanho.

Mas ainda restavam 45 minutos. O Palmeiras teria mais ação ofensiva, mas não poderia se desorganizar, se desesperar.

A primeira modificação feita por Eduardo Baptista foi aos 20 do segundo tempo. Keno entrou e saiu Michel Bastos, que tinha feito um bom primeiro tempo.

Keno daria amplitude pelo lado esquerdo. Róger Guedes entrou no lugar de Guerra aos 29. Ele daria a amplitude pela direita, mas a bola parou de chegar. Era a turma da defesa tentando achar a turma do ataque, mas a organização já não era a mesma.

William ainda entraria no lugar de Tchê Tchê. Mas como a bola chegaria para Keno, William, Dudu, Róger Guedes e Borja? O treinador sacou Michel Bastos, Tchê Tchê e Guerra. Sacou a organização e apostou em um lance isolado, de abafa.

E foram 32 minutos sem dar um chute a gol.

Algumas vitórias em algumas campanhas serão sempre lembradas por boa parte dos torcedores. Algumas vitórias são incontestáveis, lindas, bem construídas.

Outras vitórias trarão também muitas lembranças, mas nem tanto pela beleza. A vitória oferecida pelo carrinho do zagueiro Mina, aos 50 do segundo tempo, foi arrancada com muito suor e pouca inspiração e organização.

A vitória arrancada também vale três pontos, mas ela ensina que nem sempre vai dar para ser assim. As vitórias arrancadas ensinam e iludem. É preciso aprender com o sofrimento de hoje.



  • Rodrigo

    Fiquei imaginando a cara dos torcedores do Eterno 8×0, dos Bambis e do Bi Vice secando o verdão. Gol no último minuto pra vocês largarem de ser trouxas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Campeão do Século

    O EDUARDO BATISTA ESCALOU CORRETAMENTE O TIME E DURANTE A PARTIDA FEZ AS SUBSTITUIÇÕES NECESSÁRIAS.

    AVANTI PALESTRA

MaisRecentes

Venceu o irreal, mas o Grêmio também sai por cima



Continue Lendo

Furacão novamente flerta com a novidade



Continue Lendo

Grêmio vence e espera o sábado chegar



Continue Lendo