Por hierarquia e por futebol, somos muito favoritos



O futebol ganha cada vez mais termos para ser analisado, mas um me chama a atenção e é pouco utilizado. A hierarquia. É algo como o peso da camisa, mas que envolve mais do que isso. Em Brasil x Bélgica temos a hierarquia futebolística a nosso favor. O Brasil está acostumado a passar das quartas-de-final. Se caímos nesta fase normalmente entramos em crise como em 2006 ou 2010. A Bélgica não. As quartas eram o objetivo e, a partir daqui, o que vier é lucro.

É óbvio que isso não quer dizer que um time entra pressionado e outro conformado, mas também me parece que é natural quem vai tomar as rédeas do jogo. Além de ter essa hierarquia, ainda há a boa sensação que o Brasil deixa a cada vez que entra em campo.

Tite montou um time que sofre poucos gols, foram apenas 6 em 25 jogos com o técnico. Nenhuma vez marcaram mais de um gol em um jogo nesta atual Seleção. O ataque também funciona, seja por qualidade individual dos jogadores ou por trabalho coletivo que lhes aproxima do gol rival. Desde que o técnico assumiu foram 54 gols marcados. Ou seja, o Brasil marca mais de 2 gols por jogo, em média, e sofre um gol a cada quatro partidas.

A Bélgica, por outro lado, tem sim uma ótima geração. No entanto, pelo que percebo, apenas no Brasil coloca-se uma grande pressão para que conquistem algo ou cheguem mais longe. Em janeiro entrevistei o técnico Robert Martinez e, esta semana, seus pais. Também pelas reações e entrevistas dos jogadores me parece que o sentimento é de que o time é sim muito bom e seria ótimo conseguir grandes coisas, mas não é o fim do mundo ou motivo para chacota se não conseguirem. Sabem que o Brasil é superior em todos os aspectos.

A obrigação é toda nossa, mas isso não parece pesar. Os jogadores brasileiros demonstram estar cada vez mais confiantes e os minutos em campo só os ajudam a sentir menos o peso e a pressão das partidas. A cada jogo é o adversário que vai se sentindo acuado pelo ritmo constante imprimido pelo time amarelo.

O Brasil pode até cair para a Bélgica, mas por jogo e por hierarquia, ainda que eles tenham uma ótima geração, somos muito favoritos.

Resultado de imagem para brasil copa



MaisRecentes

“Never, never, never”. O que está por trás da capa do Marca com Neymar como destaque?



Continue Lendo

De Dani Alves a Lenglet: Barça gastou €130 milhões para tirar seis jogadores do Sevilla



Continue Lendo

Arthur tem tudo o que precisa para vencer no Barça



Continue Lendo