A atitude e a tática de Cristiano Ronaldo



Cristiano Ronaldo voltou em 2018 ao ritmo que se espera dele. Fez 12 gols nos últimos 7 jogos. Vai marcando de 2 em 2 praticamente. Diferentemente de Suárez, mencionado aqui em outro texto, a melhora de Ronaldo tem mais a ver com a melhora do time do que uma fase individual. Quando o Real Madrid tinha dificuldade de criar, a bola chegava pouco ao português que sofria isolado na frente, sem Benzema como o fiel escudeiro e assistente de sempre.

Nos últimos jogos, no entanto, o time branco tem recuperado sua força ofensiva. Lucas Vazquez, Carvajal, Asensio e por último Benzema e Bale fizeram bons jogos nas últimas semanas e isso potencializou o desempenho de Cristiano que sempre esteve ali, esperando a bola chegar para marcar.

Ronaldo disparou na artilharia da Liga dos Campeões, já chegando aos impressionantes 11 ainda nas oitavas-de-final. No Espanhol ainda tem números bem inferiores aos que ele se acostumou a apresentar. Tem 14 em 20 jogos que participou.

Nos acostumamos a falar das marcas atingidas pelo português, dos recordes quebrados e da fome por ir cada vez mais longe. No entanto, o camisa 7 foi em direção contrária contra o Alavés. Era normal cobrar o pênalti no fim do jogo e garantir mais um dia marcando três gols em uma partida. Ronaldo preferiu ceder o pênalti para que Benzema marcasse.

O francês tem apenas 8 gols em 29 partidas na temporada. Nada parece dar certo para ele. Zidane já mostrou sua confiança, mas ainda assim os torcedores o vaiavam e pediam sua saída. Ronaldo já havia pedido mais apoio ao camisa 9 e contra o Alavés, depois de dar duas assistências, faltava o gol.

O gesto de Cristiano foi surpreendente porque nunca se havia visto Ronaldo cedendo um pênalti assim. Por outro lado, o recado é bastante claro. Sem o Real Madrid fazer sua melhor temporada, o que o time mais precisa é ter todos os jogadores com a confiança em alta para voltar a demonstrar o futebol de meses atrás.

A boa fase de Cristiano já voltou e o que ele tenta agora é puxar os outros com ele. Uma excelente atitude e excelente tática há menos de duas semanas para a volta do jogo contra o PSG.



MaisRecentes

“Never, never, never”. O que está por trás da capa do Marca com Neymar como destaque?



Continue Lendo

De Dani Alves a Lenglet: Barça gastou €130 milhões para tirar seis jogadores do Sevilla



Continue Lendo

Arthur tem tudo o que precisa para vencer no Barça



Continue Lendo