Futebol também está na cabeça e o Real Madrid pode vencer aí



Se tem uma coisa que o Real Madrid precisava antes de enfrentar o PSG era o jogo contra a Real Sociedad. A queda de rendimento do time de Zidane na temporada é como um jogo de dominó. Primeiro alguns jogadores individualmente começaram a jogar mal. Sergio Ramos, Marcelo, Kroos, Benzema e até Cristiano Ronaldo. O grande nome da temporada, em regularidade, é Nacho e isso diz muita coisa. Depois, a falta de soluções de Zidane para ajustar o time com esses problemas. E por último a apatia mental.

A bola que não entra, os gols sofridos nos últimos minutos. Tropeços seguidos, falta de sequência de vitórias e Liga Espanhola e Copa do Rei perdidas ainda em janeiro. O Real foi se despedaçando na primeira metade da temporada e não há tempo para juntar os cacos antes de enfrentar Neymar e companhia.

A goleada contra a Real Sociedad começa com 50 segundos de jogo e cruzamento de Cristiano Ronaldo para Lucas Vasquez. Ronaldo marcou três vezes e saiu de campo feliz. Kroos fez um golaço. O último compromisso antes do jogo que vale a temporada serviu para o time levantar a cabeça e, ao menos em confiança, ter um respiro antes da decisão.

Será impossível corrigir problemas táticos para jogar contra um adversário que é rapidíssimo no contragolpe e tem capacidade individual em vários jogadores para matar o confronto. No entanto, com confiança, muitos jogadores podem voltar a render mais.

Futebol é intensidade, linhas juntas, reduzir espaços, alargar o campo, pressionar a saída de bola ou esperar na defesa, dobrar marcação gerar superioridade. É tudo isso, mas também está muito na cabeça dos jogadores. Alguém duvida do estrago que Cristiano Ronaldo pode fazer em um dia bom?

Na quarta-feira o Real Madrid entra em campo em um importante jogo de Liga dos Campeões no Santiago Bernabéu. Oitenta mil pessoas cantarão o hino composto por Plácido Domingos. O Real está acostumado a esses jogos e a esse ambiente. Quando o jogo começar o efeito dominó poderá continuar e o time desabar contra um rival que claramente está mais preparado.

No entanto, caso ao passar dos minutos as coisas forem encaixando, o time conseguir se impor e os jogadores ganharem confiança, o Real se tornará muito perigoso. O passar dos minutos pode ser decisivo. No confronto do ano, o poder de decisão está na cabeça dos jogadores do Real Madrid.



MaisRecentes

Modric ganha o prêmio que deveria ser de Salah e Cristiano perde duas vezes



Continue Lendo

Sinal amarelo para Barcelona, Tottenham, Liverpool, PSG e United na Champions



Continue Lendo

A importância da confiança e dos gols de Lucas Moura



Continue Lendo