Alto ritmo do Liverpool fez o Man. City acusar o cansaço da temporada



A sequência invicta do Manchester City no futebol inglês foi longe demais. Durou mais de 20 jogos na Premier League com 20 vitórias e 2 empates. Em alguns momentos, no entanto, o time acusou cansaço. E jogar futebol bem sem conseguir correr é quase impossível.

Antes de perder para o Liverpool havia vencido o Bristol, da segunda divisão apenas no último minuto. Com De Bruyne, Sterling, Sané e outros titulares. Contra o Liverpool, na derrota com quatro gols sofridos, o City parecia desabar dentro de campo.

Não conseguiu igualar a intensidade do Liverpool, não conseguiu criar chances de todas as formas, como fazem normalmente. Sem conseguir se impor, contra um adversário que exigia muito fisicamente por marcar em cima, sufocar e atacar com muita força, o City não era confortável em campo.

Depois do golaço de Firmino, outro cansaço pareceu vir à tona. O cansaço mental. Uma sequência de erros em poucos minutos fez o placar se dilatar para 4 a 1. O time vermelho poderia fazer mais e ainda sofreu no final com sua insegura defesa que sofreu dois gols.

Futebol é técnico, tático e físico. A técnica e a tática do City já são amplamente comentadas nos últimos meses. No entanto, sem capacidade física, os jogadores parecem piores e o esquema de jogo nem parece assim tão eficiente e fica mais vulnerável. O cansaço físico de dominar sempre os rivais, propor o jogo, mudar detalhes nas partidas para seguir surpreendendo e o cansaço mental da pressão por manter a invencibilidade, ser sempre favorito e donos dos jogos também pesa.

Não entenda que o texto diminui os méritos do Liverpool ou tem a intenção de dizer que apenas o Manchester City sofre com o desgaste. O time de Guardiola jogou 17 vezes nos últimos 57 dias. Um jogo a cada três dias e meio nos últimos dois meses. No mesmo período o Liverpool entrou em campo 15 vezes.

O desgaste é para todos. O calendário inglês é ingrato para todos. E todos já sentiram o peso disso em algum momento. Calhou apenas de chegar também o momento do melhor time do mundo na atualidade. A conta quase chegou contra o Bristol, mas o Liverpool é bom o bastante para não perdoar.

O City terá pouco tempo para descansar. Apenas entre 3 e 10 de fevereiro terá uma semana cheia sem jogos. O normal é que a qualidade das atuações caia em alguns momentos.



MaisRecentes

De todos os protagonistas só Cristiano se explica



Continue Lendo

Foi um dos melhores jogos que a Copa verá. Teve tudo, e principalmente Cristiano



Continue Lendo

Griezmann, Piqué e a desnecessária imprensa



Continue Lendo