Se todos estão jogando futebol, Messi joga outra coisa



“Futebol é difícil. É muito difícil ainda que não pareça”. Essa frase é de Michael Robinson, ex-jogador do Barcelona e comentarista de futebol na Espanha. Ela saiu espontaneamente enquanto comentava um gol de Messi no Camp Nou, girando sobre o marcador no meio-campo e conduzindo a bola colada aos pés até a entrada da área, quando achou um espaço para finalizar.

Parece fácil. Parece que os adversários são ruins, mas não é assim. Todos sabem que Messi vai levar para o pé esquerdo, fazendo diagonal e vai finalizar próximo à meia-lua. E são mais de 10 anos fazendo isso, 590 gols na carreira e ele continua fazendo.

No entanto não é só isso. O futebol é difícil, ainda que não pareça. Contra o Celta, pela Copa do Rei, Messi já havia marcado duas vezes. O adversário estava grogue e tentando se defender. Corriam como loucos atrás dos jogadores vestidos de azulgrená enquanto Messi caminhava tranquilamente. E foi assim que saiu o terceiro gol.

Repare em cada detalhe do gol. Messi recebe praticamente parado e não tenta fintar o seu marcador, não finge que vai arrancar, mas existe o medo. Pela frente três jogadores no meio-campo e uma impressionante linha de seis defensores próximos à área.  A defesa em linha dificulta a ação de quem ataca porque se o passe ou a arrancada de quem vai receber não são sincronizados o defensor terá vantagem na corrida ou o atacante entrará em impedimento.

Messi recebe, parado lê a jogada, quando Alba arranca ele faz o passe no “timing” perfeito. Era preciso ultrapassar uma linha de seis jogadores. A bola não pode ir pelo alto, ou Alba não irá alcança-la. Pela grama perderá velocidade. Ela precisa chegar entre a defesa que correrá em direção ao gol e o goleiro que correrá em direção a bola. Se Alba tentar domina-la zagueiros ou goleiro irão impedi-lo.

Parado, com nove defensores pela frente, uma linha de seis na frente da área, Messi consegue dar o passe perfeito para o lateral marcar. O lançamento de 40 metros chega tão perfeito que Alba nem precisa ajeitar o corpo para fazer o gol.  Fosse um jogador destro o que seria acionado, Leo bateria na bola de forma diferente para que ela chegasse no melhor ângulo para o chute com o pé bom.

Ao ver o gol, o normal é pensar que é fácil fazer isso. Pode não parecer tão complicado, mas é. Futebol é muito difícil, ainda que não pareça.

O passe para Alba não é algo de outro mundo porque é algo que Messi faz a cada quatro dias. Existem compilados de vídeos de 8, 9 minutos apenas de passes assim do camisa 10 para seus companheiros. Quando a bola é para Alba ela chega de um jeito, para Suarez de outro, Neymar outro, Villa, Alexis, Pedro, Aguero…

Messi é capaz de ser letal a 40 metros do gol com nove jogadores adversários atrás da bola. Não é um jogador perigoso quando está na meia-lua apenas ou quando pode arrancar no um contra um. São 40 metros com o time inteiro atrás.

Existem muitos bons jogadores. Bons finalizadores, bons dribladores, bons controladores de jogo. Mas existe um que é diferente de todo o resto. Se todos estão jogando futebol, Messi joga outra coisa. Se Messi joga futebol, são os outros jogam outra coisa.



MaisRecentes

Modric ganha o prêmio que deveria ser de Salah e Cristiano perde duas vezes



Continue Lendo

Sinal amarelo para Barcelona, Tottenham, Liverpool, PSG e United na Champions



Continue Lendo

A importância da confiança e dos gols de Lucas Moura



Continue Lendo