Bale, seu pior inimigo



Gareth Bale está fora dos dois confrontos finais de País de Gales em busca de uma vaga na Copa do Mundo do ano que vem. Não é de hoje que as lesões musculares atrapalham a sequência do atacante Real Madrid. Ficará um mês de baixa e, caso Gales vá para a repescagem, poderá perder também o mata-mata decisivo.

Já são 13 lesões desde que chegou ao Real Madrid, há 4 anos. Sempre com longos períodos de recuperação e recaídas. A falta de sequência o atrapalha a ser um jogador útil para o Real.

Bale tem características raras. É muito forte e bom no jogo aéreo, mas também tem velocidade espantosa e finaliza bem de média e longa distância. Poderia ser um faz tudo. Jogar perto do gol como centroavante, aberto na esquerda como ponta ou com dois atacantes para aproveitar os disparos frontais.

E o pior é que quando ele começa a engrenar, mostra isso. Que pode fazer de tudo bem. Aí vem lesão, tempo fora, perde ritmo, perde entrosamento. Em um time cheio de estrelas como o Real Madrid o maior adversário de Bale é ele próprio. E agora Gales também sofre com isso.



MaisRecentes

O dinheiro ainda não comprou a felicidade em Milão



Continue Lendo

Raiz x Nutella: a rivalidade em jogo entre Marselha e PSG



Continue Lendo

Paulinho, um falso 9, mas também o que mais passa no Barcelona



Continue Lendo