Benzema e o instinto do jogador diferente



Uma imagem que girou o mundo essa semana foi a que decidiu o confronto entre Atlético e Real Madrid na quarta-feira. O drible de Benzema, espremido na linha de fundo, com três zagueiros o marcando e sozinho. O francês conseguiu girar e com dois toques na bola passou pelos três marcadores. Depois veio o passe pra Kroos e o gol de Isco no rebote.

Benzema se explicou dizendo que nem pensou na hora no que estava fazendo. Viu o espaço e intuitivamente tentou a jogada. Aí é que entra algo que os grandes jogadores têm. Eles não pensam e planejam cada movimento. O improviso, quase um sexo sentido futebolístico, a capacidade de surpreender, o fazer o que nem ele, quanto mais o defensor adversário espera.

Quando dizem que o craque tem a ante visão da jogada deve ser a isso que se referem. Não dá, pra no futebol de hoje em dia, parar, depois pensar e depois agir. Tudo tem que vir junto e o drible de Benzema em três zagueiros ao mesmo tempo é a prova disso. Rápido, inteligente, intuitivo, moderno e letal. Uma jogada que pode ajudar a valer uma Liga dos Campeões.



MaisRecentes

Meio time fora e Bernardo Silva: o Manchester City começa uma necessária revolução



Continue Lendo

A despedida do Totti, o jogador contra a corrente



Continue Lendo

Título da Europa League pode devolver United ao ciclo vitorioso dos grandes europeus



Continue Lendo