O Leicester volta a estar encantado e Sevilla paga caro



Desde que demitiu Claudio Ranieri o Leicester vai se reencontrando com o futebol nada atrativo e tudo competitivo que o fez ganhar a Premier League na temporada passada. Pudera. Com os jogadores que têm, jogar simples é prioridade e os atletas vêm destacando isso a cada oportunidade.

Extremamente reativo, confortável sendo pressionado e aproveitando as poucas chances que aparecem, o pequeno inglês eliminou o Sevilla. Saiu vivo da Espanha onde foi muito inferior, saiu na frente com bola parada, aguentou a pressão e matou na chance que teve. Além disso, contou com o brilho de seu goleiro Schmeichel que defendeu dois pênaltis, um em cada jogo.

O Sevilla fica sem prêmio por errar tanto. Desde penalidades, até as oportunidades do jogo de ida, pelo erro de Nasri caindo na provocação de Vardy e sendo expulso de forma infantil. Um clube sem lastro na Liga dos Campeões e que parece ter sentido a pressão de ser favorito e tecnicamente muito superior a seu adversário.

O Leicester é o preferido do sorteio para todos. Embora tenha recuperado o caminho que o levou ao sucesso do ano passado, mas ainda destoa tecnicamente de todos os oponentes já classificados e dos que estão por se classificar.



MaisRecentes

Com média de 17 mil por jogo, Celta é punido por baixa presença de público no estádio



Continue Lendo

O perigoso princípio de incêndio no PSG



Continue Lendo

Quatro meses, 20 jogos e período de adaptação. Porque a lesão de Dembele é um desastre



Continue Lendo