Aposentadoria de lenda do wrestling deixa torcida japonesa orfã



Três vezes campeã olímpica na luta livre feminina, Saori Yoshida anunciou sua aposentadoria (Crédito: Divulgação)

Os fãs japoneses do wrestling tiveram uma terça-feira (8) de lamentações. Uma das lendas da modalidade, Saori Yoshida confirmou pelo Twitter sua aposentadoria aos 36 anos. Pela primeira vez neste século a luta livre feminina não terá a tricampeã olímpica Yoshida em uma edição dos Jogos.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

A quantidade de medalhas exibidas no post das redes sociais de Yoshida, reproduzido acima, serve para dar um pouco a noção da importância da lutadora para o wrestling feminino.

Medalha de ouro nos Jogos de Atenas-2004, Pequim-2008 e Londres-2012, sempre nos 55  kg, Saori Yoshida só conheceu sua primeira derrota numa Olimpíada na Rio-2016. Por acaso, foi quando precisou mudar de categoria, passando a competir nos 53 kg. Na ocasião, foi superada pela americana Helen Maroulis.

Desde 2002, quando tornou-se campeã mundial pela primeira vez, Yoshida vinha sendo dominante no wrestling. Só perdeu três lutas ao longo da carreira. Uma em 2008 e outra em 2012, em etapas de Copas do Mundo, além do revés no Rio de Janeiro. Chegou a acumular uma sequência de 119 vitórias consecutivas. A japonesa conquistou também 13 vezes o Mundial de wrestling.

Embora os torcedores tenham sido pegos de surpresa com o anúncio da aposentadoria de Yoshida, a verdade é que ela já vinha ensaiando sua retirada das competições.

Ela integrou uma comissão japonesa que fez lobby junto ao COI (Comitê Olímpico Internacional) pela manutenção do wrestling nas Olimpíadas. Além disso, ela vinha ajudando a comissão técnica que prepara a equipe japonesa para os Jogos de Tóquio-2020.

“Venho trabalho duro como lutadora por muito tempo, graças ao apoio de muitas pessoas. Muito obrigada a todos”, escreveu Saori Yoshida em seu post de despedida.

VEJA TAMBÉM:

Laís Nunes busca o bronze no Mundial de wrestling de Budapeste 
A primeira vítima esportiva da política de imigração de Donald Trump 
‘Besuntado de Tonga’ já sonha com vaga em Tóquio-2020 
O calendário 2019 do esporte olímpico



MaisRecentes

Handebol brasileiro muda de patamar com 9º lugar no Mundial



Continue Lendo

Wada surpreende ao adotar solução política e evitar punição à Rússia



Continue Lendo