Vôlei e vôlei de praia brilham em dia olímpico histórico para o Brasil



Jogadoras da Seleção Brasileira feminina comemoram o 12º título do Grand Prix (Crédito: FIVB)

Esta é para quem gosta de efemérides. O domingo dourado para o vôlei feminino e o vôlei de praia masculino acabou ocorrendo em um dia marcante para o Brasil na história das Olimpíadas. A conquista do 12º título do Grand Prix pela Seleção Brasileira feminina de vôlei, assim como o título mundial da dupla masculina Evandro e André Stein no vôlei de praia aconteceram em um dia duas medalhas de ouro olímpicas inesquecíveis.

Foi num 6 de agosto de 1984, na Olimpíada de Los Angeles, que Joaquim Cruz deixou o mundo impressionando com uma performance maravilhosa na final dos 800 m, deixando para trás o grande favorito da prova, o britânico Sebastian Coe. Foi a primeira medalha de ouro do atletismo brasileiro desde Adhemar Ferreira da Silva, no salto triplo, em Melbourne-1956.

Confira no vídeo como foi a maravilhosa prova de Joaquim Cruz em 1984:

No mesmo 6 de agosto, só que em 2012, uma outra medalha de ouro inesquecível. Na Olimpíada de Londres, pela primeira vez o Brasil ficou no lugar mais alto do pódio, com Artur Zanetti vencendo nas argolas. Uma nota excepcional (15.900), espantando os especialistas, embora o brasileiro já tivesse no currículo uma prata no Mundial 2011.

Veja como foi a conquista do ouro de Arthur Zanetti em 2012:

VEJA TAMBÉM:

Há 65 anos, Adhemar Ferreira da Silva mudou a história olímpica do Brasil 
Todas as medalhas do atletismo do Brasil na história das Olimpíadas 
Ginástica masculina muda de status com classificação para a Rio-2016 
‘Os campeões do passado construíram a história do judô brasileiro’, diz Tiago Camilo
Olga Korbut leiloa suas medalhas olímpicas
Com grana enxuta, atletismo brasileiro aposta em ‘meritocracia’ para Tóquio-2020
O dia em que o Brasil viveu uma noite de prata nas Olimpíadas de Los Angeles-1984
Rudisha vai atrás de novo ouro em Tóquio-2020. Conheça outros tricampeões no atletismo



MaisRecentes

Basquete masculino brasileiro bebe na fonte certa para tentar se reerguer da crise



Continue Lendo

O calote do Comitê Rio-2016 é uma vergonha que ficará para sempre



Continue Lendo

COI volta a se preocupar com os custos dos Jogos de inverno. Mas os de 2026



Continue Lendo