Vitória sobre a Grécia faz o basquete brasileiro sonhar no Mundial



Jogadores do Brasil se abraçam após a histórica vitória sobre a Grécia (Crédito: Fiba)

Convenhamos, quando Kobe Bryant sorteou as bolinhas e deixou a Grécia no mesmo grupo do Brasil na Copa do Mundo masculina de basquete na China, nove em dez torcedores já contavam como uma derrota esperada. A Grécia tem uma equipe espetacular e ainda por cima conta com o MVP da última temporada da NBA, Giannis Antetokounmpo.

Só que a seleção brasileira, que vinha de uma série de bons jogos preparatórios, resolveu inverter a lógica e cravou uma vitória histórica, por 79 a 78. Talvez o maior triunfo do basquete brasileiro em campeonatos mundiais nos últimos anos.

Para repetir um bordão das redes sociais, estão deixando a gente sonhar!

 O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

O triunfo desta terça-feira (3) já assegurou o Brasil na próxima fase. E se derrotar Montenegro no último jogo desta fase, a equipe terminará na primeira colocação de seu grupo. Para ajudar, os montenegrinos chegarão eliminados, após a derrotar surpreendente para a Nova Zelândia por 93 a 83. Ou seja, não é improvável que os brasileiros avancem com três vitórias.

Como a próxima fase terá uma nova fase de grupos, cruzando possivelmente com Estados Unidos e Turquia, uma nova projeção bem realista apontaria a seleção brasileira alcançando os mata-matas. Fase que neste Mundial tem uma importância ainda maior, pois pode definir vagas diretas para a Olimpíada de Tóquio-2020.

Números e análises à parte, vale ressaltar a emoção que foi ver o basquete brasileiro voltar a jogar como um time grande no basquete masculino.

Veja os melhores momentos de Brasil 79 x 78 Grécia

Por exemplo, a incrível atuação de Anderson Varejão, que foi gigante na parte defensiva e altamente eficiente no ataque, terminando com 22 pontos, nove rebotes e 33 minutos em quadra. Tudo isso aos 36 anos!

Outro “vovô” que brilhou foi Alex Garcia, de 39 anos, 13 pontos, seis assistências e fundamental na armação dos contra-ataques. Mas como esquecer do tapinha salvador do novato Bruno Caboclo, evitando a cesta que daria a vitória grega no último segundo?

Um Brasil que se transformou nas mãos do técnico croata Aleksandar Petrovic. Na véspera do jogo, ele declarou que tinha a fórmula para parar Antetokounmpo. O que seria uma simples bravata mostrou-se real, tanto que o gigante grego de 2,11 m saiu com cinco faltas e 13 pontos marcados.

Pelos dois primeiros jogos, o basquete brasileiro está mostrando que pode chegar bem além do que se esperava nesta Copa do Mundo.

VEJA TAMBÉM:

Copa do Mundo de basquete: relembre como foram as participações do Brasil 
Algo está mudando no basquete brasileiro. E para melhor 
A mão de Kobe não foi nada santa



MaisRecentes

Todos os campeões da história do Mundial masculino de basquete



Continue Lendo

Brasil no Mundial de basquete merece elogios e profundas reflexões



Continue Lendo