Aproveite enquanto pode: antes do adeus, Usain Bolt em dez frases



Usain Bolt repete o famoso gesto do raio, sua marca registrada nas comemorações, durante entrevista coletiva em Londres (Crédito: AFP PHOTO / Adrian Dennis)

Sim, está acabando. Aproveite enquanto pode. Sexta (4) e sábado (5), a menos que ocorra uma zebra monumental, serão as últimas oportunidades para ver Usain Bolt em ação. O astro jamaicano disputará nestes dois dias as eliminatórias e final dos 100 m rasos do Mundial de atletismo de Londres. Até prova em contrário, elas marcarão sua despedida das pistas.

Nesta terça-feira, diante de um batalhão de jornalistas, ele participou de uma concorrida entrevista coletiva,em evento de seu patrocinador, a Puma. E só para variar, mostrou estar afiado nas declarações.

Abaixo, um pouco de Usain Bolt, em dez frases:

“Tenho lido por aí que sou um azarão [no Mundial]. Então, terei que provar novamente a mim mesmo que não sou” – em relação a não aparecer como favorito para vencer os 100 m

“Minha última prova fiz em 9s95, portanto acho que estamos na direção certa”  – a respeito da prova vencida em Monaco, no dia 21 de julho, pela Liga Diamante

“As duas rodadas [eliminatórias e final] sempre me fazem bem. Além disso, corri por aqui diversas vezes” – sobre sua expectativa para o Mundial e o fato de se sentir bem correndo no Estádio Olímpico, onde brilhou na Olimpíada de Londres-2012

“Usain Blt se aposenta invicto em um evento individual. Imbatível. Imparável”  – brincando sobre qual seria sua manchete favorita para o dia seguinte de sua última prova

“Se eu apareço para competir em um campeonato, você pode ter certeza que estou totalmente confiante e pronto para ganhar” – sobre se acredita que poderá sair com uma nova medalha de ouro em mundiais

“Os sete atletas que estarão correndo comigo são os meus maiores adversários” – recusando-se a apontar quem seria seu maior rival neste Mundial

“Quero me gabar para os meus filhos quando eles tiverem 15 anos que eu ainda sou o melhor” – ao responder que gostaria que seus recordes durassem por muito tempo ainda

“Definitivamente, os 200 m em Pequim-2008, porque não imaginava que poderia quebrar o recorde mundial” – sobre a sua prova mais marcante na carreira

“Todos os anos você encontra algo que o motive. Amo competir, cresço diante dos concorrentes, quero sempre que eles corram muito rápido” – sobre como buscou motivação ao longo dos anos

“Não há palavras para explicar o que fiz ao longo dos anos e estou muito orgulhoso de mim mesmo” – ao fazer um balanço rápido de tudo o que fez em sua carreira

VEJA TAMBÉM:

O raio de Bolt se despede de sua torcida 
Nunca duvide de um gênio como Usain Bolt 
Rudisha vai atrás de novo ouro em Tóquio. Conheça outros tricampeões no atletismo 
Seleção brasileira é definida para o Mundial de atletismo. Confira a lista
Para resgatar credibilidade, atletismo pode ‘apagar’ recordes históricos
Escândalo do doping deve deixar a Rússia fora do Mundial de atletismo
O impacto da ausência de Thiago Braz no Mundial de atletismo