Um ano de belas recordações. E de um pouco de vergonha também



Coluna Diário Esportivo, publicada no Diário de S. Paulo em 25/12/2009

O ano de 2009 está caminhando para o seu final e com ele surge aquela necessidade quase patológica de fazermos um balanço do que ocorreu ao longo de quase 365 dias (sim, ainda falta mais um pouquinho para inaugurar a agenda nova que você ganhou no Natal). E olhe que sobrou assunto no esporte olímpico brasileiro e mundial em 2009.

Sempre iremos lembrar que 2009 foi o ano em que Cesar Cielo tornou-se o homem mais rápido da história da natação. Depois do ouro nos 50m em Pequim-08, Cielo ratificou sua condição de estrela ao conquistar as medalhas de ouro nos 50 e 100m livre do Mundial de Roma. Ainda por cima, quebrou o recorde mundial dos 100m no Mundial e dos 50m agora em dezembro, no E. C. Pinheiros.

O Brasil não se esquecerá de 2009 por ter sido o ano em que o país ganhou a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio, um feito historicamente memorável e de extrema responsabilidade, diante do superafaturado exemplo dos Jogos Pan-Americanos de 2007, também na capital carioca. Este foi também o ano da vergonha para o esporte brasileiro, em especial para o atletismo, com 16 casos de doping, e ainda para a badalada ginasta Daiane dos Santos, que foi flagrada em um exame fora de competição.

Este 2009, em compensação, colocou o nome do carismático jamaicano Usain Bolt na história do esporte, após ele se tornar campeão dos 100 e 200m rasos e recordista mundial nas duas provas, durante o Mundial de Berlim. Ufa, realmente 2009 foi um ano de tirar o fôlego. Boas festas a todos.

O texto acima pertence à coluna Diário Esportivo, que voltará a ser publicada no dia 8 de janeiro de 2010, no Diário de S. Paulo



MaisRecentes

Pole dance, poker e pebolim (ou totó): mais novidades no programa olímpico?



Continue Lendo

Robert Scheidt desiste de Tóquio-2020 por família e falta de resultados



Continue Lendo