O triste adeus olímpico de Isabel Clark



Lesões no joelho e no calcanhar tiraram Isabel Clark da Olimpíada de PyeongChang (Crédito: Christian Dawes/COB)

Certamente não foi essa a despedida que Isabel Clark pensava fazer em sua última participação numa Olimpíada de Inverno. Por causa de lesões sofridas no joelho e calcanhar direitos, a representante do snowboard não poderá disputar sua prova nos Jogos de PyeongChang, na Coreia do Sul. A confirmação foi feita nesta quinta-feira, pela assessoria de imprensa do COB (Comitê Olímpico do Brasil).

No dia anterior, quando realizava o último treino oficial na pista do Phoenix Snow Park, Isabel sofreu uma queda, muito por causa dos fortes ventos na região. O trauma causou muitas dores no calcanhar e no joelho, mas após exames, não foi constatada nenhuma fratura. O médico do COB, Roberto Nahon, preferiu aguardar o dia seguinte para um diagnóstico definitivo. Só que ao fazer os testes técnicos, quando simularia os saltos que teria que executar durante a competição, a snowboarder voltou a sentir dores e foi vetada definitivamente.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

“Estou triste porque lutei muito para disputar esses Jogos durante os dois últimos meses. Mas tenho que preservar a minha integridade física e buscar me recuperar completamente”, disse Isabel, no comunicado do COB. Aos 41 anos, ela já tinha sua presença ameaçada na Olimpíada em razão de um acidente sofrido em uma etapa da Copa do Mundo, na Itália. Dona do melhor resultado do Brasil na Olimpíada de Inverno – 9º lugar em Turim-2006, Isabel Clark se despede das Olimpíadas de Inverno de uma forma triste.

E amplia a maré de azar do Brasil na edição dos Jogos de PyeongChang. Dias antes da abertura, Michel Macedo, do esqui alpino e que é o mais jovem integrante da delegação brasileira, também se contundiu em um treino. Acabou perdendo suas duas primeiras provas mas está liberado para competir na prova do Super G, que será disputada a partir da meia-noite do dia 16 (horário de Brasília).

VEJA TAMBÉM:

Ignorância e falta de espírito esportivo em PyeongChang 
Os problemas da Olimpíada de PyeongChang e a crítica seletiva 
Brasileiros em PyeongChang-2018: snowboard 
‘Eu, Tonya’ tenta humanizar a imagem da ‘inimiga’ da América



MaisRecentes

Hora da parada técnica



Continue Lendo

Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano



Continue Lendo

Dez mulheres olímpicas que deixam o Brasil orgulhoso



Continue Lendo