Rumo a Tóquio-2020: Taekwondo traz medalhas e rúgbi vai bem na Austrália



O sábado começou bem para o esporte olímpico brasileiro, neste começo de ciclo olímpico para a Olimpíada de Tóquio-2020. No taekwondo, quatro medalhas conquistadas pelos lutadores do Brasil no US Open, realizado em Las Vegas (EUA); já no rúgbi seven, bom resultado da Seleção Brasileira feminina na segunda etapa da Série Mundial, realizada em Sydney (AUS).

Na madrugada deste sábado, foi encerrada  a segunda etapa da Série Mundial de Seven, modalidade que possibilitou a volta do tradicional rúgbi ao programa olímpico na Rio-2016. Após perder as três partidas na fase de grupos para Austrália (24 a 7), Fiji (31 a 10) e Irlanda (33 a 5) na sexta-feira (3), o Brasil partiu para a disputa do Challenge Trophy, nome pomposo para o velho e conhecido Torneio Consolação.

A disputa aconteceu neste sábado (4) e trouxe de saldo duas importantes vitórias para as meninas brasileiras, que primeiro superaram a Espanha por 10 a 7 e depois bateram a Inglaterra por 17 a 12. Esta vitória sobre as inglesas, que foi a base da equipe da Grã-Bretanha na Rio-2016, assegurou a 9ª posição para a Seleção Brasileira. O título em Sydney ficou com o Canadá, que bateu  os Estados Unidos na final por 21 a 17.

A próxima etapa da Série Mundial está marcada para Las Vegas (EUA), entre os dias 3 e 5 de março.

Medalhas no taekwondo

Nesta madrugada também terminou em Las Vegas o Aberto dos Estados Unidos de taekwondo, primeira grande competição da modalidade no ciclo olímpico para Tóquio-2020. Sim, este foi o mesmo torneio em que atletas foram barrados nos Estados Unidos por causa da nova política imigratória imposta pelo presidente Donald Trump.

Para o Brasil, o saldo foi bem positivo, com a conquista de quatro medalhas pelos atletas brasileiro. O melhor resultado foi de Edival Marques, que levou a medalha de prata na categoria 63 kg, sendo derrotado na final pelo espanhol Javier Perez.

As demais medalhas brasileiras conquistadas em Las Vegas foram de bronze, com João Chaves (87 kg), Gabriela Siqueia (+ 73 kg) e Julia Vasconcelos (62 kg). Iris Sing, que representou o Brasil na Rio-2016, perdeu em sua primeira luta, enquanto Maicon Siqueira, bronze olímpico na categoria 87 kg, não participou.

Sempre é bom lembrar que o taekwondo brasileiro vive uma crise institucional, com seu presidente e vice afastados após denúncias de má gestão de verbas públicas. A CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo) também está sem receber a verba a Lei Agnelo/Piva, que é administrada pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil), em razão dos problemas judiciais da entidade.

Até por causa disso, estas medalhas servirão para aliviar um pouco o clima ruim que a modalidade passa no Brasil.

VEJA TAMBÉM:

A primeira vítima esportiva da política de imigração de Trump 
“Vou lidar com um problema por vez, do contrário teria uma úlcera”, diz Agberto 
“Corte nas verbas da loteria não foi punição a ninguém”, diz novo diretor do COB 
Menos dinheiro faz COB premiar competência com verbas das loterias
Rúgbi do Brasil inicia temporada de olho nos Jogos de Tóquio-2020 
O calendário 2017 do esporte olímpico 



MaisRecentes

Robert Scheidt desiste de Tóquio-2020 por família e falta de resultados



Continue Lendo

Cartola projeta recorde de 30 ouros para o Japão nos Jogos de Tóquio-2020



Continue Lendo