Tóquio-2020 colocará ingressos internacionais à venda a partir de junho



Os ingressos destinados ao público de fora do Japão começarão a ser comercializados em 14 de junho (Crédito: Tóquio-2020)

O torcedor que vive fora do Japão já sabe quando terá à disposição os ingressos para a Olimpíada de Tóquio-2020. Neste domingo (3), durante a assembleia do Conselho Olímpico da Ásia, os organizadores japoneses informaram que a data para venda dos tíquetes internacionais começará em 14 de junho.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

A fase doméstica de venda de ingressos, apenas para moradores do Japão, se iniciará entre o final de abril e início de maio. Neste período estão programados alguns feriados nacionais e haverá inclusive a cerimônia de sucessão do imperador do Japão, Akhito, dando lugar ao filho Naruhito, no dia 1º de maio.

Segundo observou o site “Inside the Games”, a data de 14 de junho não foi escolhida por acaso.

Neste dia, entrará em vigor uma lei nacional que proíbe a revenda de ingressos com preços acima do oficial. O velho e bom cambismo. E a punição não será nada leve para quem for pego em flagrante. A lei prevê até um ano de prisão e multa que pode chegar a US$ 9 mil (R$ 33,9 mil).

Veja imagens das arenas para Tóquio-2020:

 

 

Preços

Os ingressos mais caros para a Olimpíada de Tóquio-2020 serão das cerimônias de abertura e encerramento, custando US$ 2.500 (R$ 9.435). As entradas mais baratas das cerimônias sairão por US$ 22 (R$ 83,03), enquanto idosos, crianças e pessoas com deficiência pagarão US$ 18 (R$ 67,93).

Em relação às competições, os ingressos mais baratos serão encontrados no futebol, hóquei sobre grama ou rúgbi seven. Os mais caros devem ficar com o atletismo, saindo por até US$ 1.100 (R$ 4.151,57).

VEJA TAMBÉM:

Ingressos para o Pan de Lima-2019 só começarão a ser vendidos no final de maio 
Enquanto Brasil corta verbas, Austrália amplia investimentos 
Os números que comprovam a força de Ana Marcela Cunha para Tóquio-2020 
Caso de devolução dos ingressos da Rio-2016 é uma vergonha