Thiago Pereira dá adeus às piscinas. Relembre sua carreira



Um dos maiores ídolos do esporte brasileiro, Thiago Pereira deve anunciar nesta quarta-feira, durante o Prêmio Brasil Olímpico, seu adeus às piscinas. A informação foi dada com exclusividade pelo jornal “Folha de S. Paulo”. Procurada pelo blog, a assessoria de imprensa do nadador não comentou a reportagem e disse que ele não irá se manifestar até o momento da cerimônia.

O adeus de Thiago Pereira encerra um ciclo importante de uma das referências da natação brasileira em todos os tempos. Os números são inquestionáveis ao apontar o nadador nascido em Volta Redonda como um dos maiores vencedores na modalidade. Medalhista olímpico, medalhista em Mundiais e maior ganhador de medalhas do Brasil em Jogos Pan-Americanos e um dos principais medalhistas na história da competição. Não é pouca coisa.

Por muito tempo, ele teve que conviver com o incômodo apelido de “Mr. Pan”, referindo-se a ele como um atleta que só conseguia brilhar em uma competição de nível técnico não tão forte. A comparação injusta com outras estrelas da natação, entre eles Cesar Cielo, também deram um peso a mais para ele carregar em seus ombros.

VEJA TAMBÉM:

Confira todas as medalhas do “Mr. Pan” Thiago Pereira 
O triste fim de Coaracy Nunes 
Saiba mais sobre o Prêmio Brasil Olímpico 
Crise na CBDA é o mais novo “legado olímpico” brasileiro 
Após ganhar a vaga no Mundial, polo brasileiro torce para conseguir viajar

O que talvez muita gente nunca levou em conta é que Thiago Pereira disputou uma das provas mais desgastantes da natação, os 400 m medley. Para complicar, ele foi contemporâneo de uma geração fortíssima nesta prova, entre eles um tal de Michael Phelps.

Pena que a retirada de Thiago Pereira da natação se dá no pior momento da história dos esportes aquáticos brasileiros. A CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) vive uma crise política sem tamanho. Com direito a ter sua diretoria afastada, corte radical nos valores de patrocínio e uma indefinição no próprio futuro das modalidades aquáticas neste ciclo olímpico.

Aos 31 anos, Thiago Pereira cansou. Teria condições de fazer mais um ciclo, concentrando-se talvez nos 200 m medley, e teria função fundamental, com sua experiência, para liderar a nova geração brasileira.  Mas decidiu pendurar a touca e isso precisa ser respeitado.

Confira os principais feitos da carreira de Thiago Pereira (dados informados pela assessoria de imprensa):

  • Maior vencedor brasileiro e sul-americano de provas da Copa do Mundo da FINA – 38 vitórias
  • 12º maior vencedor de provas na Copa do Mundo da FINA – 38 vitórias
  • Rei da Copa do Mundo de 2010, único latino americano a conquistar
  • Maior brasileiro vencedor de provas nos Grand Prixs dos Estados Unidos – 12 vitórias
  • Maior medalhista brasileiro em competições internacionais – 34 medalhas entre Mundiais Curta e Longa, Jogos Olímpicos e Pan Americanos, Pan Pacífico
  • Maior medalhista da história dos Jogos Pan Americanos entre todos esportes e países – 23 medalhas
  • Segundo maior medalhista de ouro da história dos Jogos Pan Americanos atrás apenas do ginasta cubano Erick Lopez – 15 medalhas de ouro.
  • Por duas vezes o maior medalhista brasileiro em Jogos Pan Americanos com o recorde de 8 medalhas numa mesma edição, 2007 no Rio e em 2011 em Guadalajara.
  • Único brasileiro finalista olímpico quatro vezes na mesma prova.
  • Nadador brasileiro com mais finais individuais olímpicas, 6 finais.
  • Junto com Gustavo Borges, Joanna Maranhão e Kaio Márcio Almeida, ocupa a segunda posição na história do maior número de participações em Jogos Olímpicos pela natação, atrás apenas de Rogério Romero.
  • Maior vencedor da história de uma mesma prova no Troféu Maria Lenk, 400 medley – 13 anos consecutivos.
  • Único nadador brasileiro medalhista em campeonatos nacionais absolutos nos quatro estilos.
  • Segundo maior vencedor da natação no Prêmio Brasil Olímpico, três vezes.
  • Vencedor do Prêmio Brasil Olímpico duas vezes.
  • Swimmer of the Year pela Swimming World Magazine em 2007.
  • Recordista mundial 100 medley em piscina curta em 2007.
  • Medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 – 400m medley
  • Três medalhas em Campeonatos Mundiais: prata nos 200m medley em Kazan-2015; bronze nos 200 e 400 m medley em Barcelona-2013
  • Campeão mundial em piscina curta (25 m) nos 200 m medley em Indianapolis-2004


MaisRecentes

Qual sua dupla de mascotes preferida para os Jogos de Tóquio-2020?



Continue Lendo

Eliminação no Mundial precisa servir de aprendizado para o handebol do Brasil



Continue Lendo