A mão de Kobe não foi nada santa



O americano Kobe Bryant participa do sorteio dos grupos da Copa do Mundo masculina de basquete, na China (Crédito: reprodução)

Astro principal do sorteio dos grupos da Copa do Mundo de basquete da China, o americano Kobe Bryant é fã do Brasil por causa de Oscar Schmidt. Quando criança, acompanhava os jogos do brasileiro na Itália, onde seu pai também atuava. Inclusive, foi inspirado no nosso Mão Santa que ele começou a treinar arremessos de três pontos no quintal de sua casa.

Ironicamente, as mãos de Kobe não foram nada santas para o basquete brasileiro no sorteio realizado neste sábado (16).

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

Se havia algum grupo mais complicado para a seleção brasileira cair na primeira fase do Mundial, era justamente esse Grupo F.

Ter que encarar Grécia, Montenegro e Nova Zelândia, com apenas duas vagas para avançar de fase, será uma missão quase impossível para o time comandado pelo técnico croata Aleksandar Petrovic.

Em uma análise bem realista, o Brasil terá que jogar o torneio de sua vida para superar dois times europeus com muita tradição e que contam com jogadores que estão brilhando na NBA.

Entre eles, o grego Giannis Antetokounmpo, do Milwaukee Buks, e do pivô  montenegrino Nikola Vucevic, principal jogador do Orlando Magic e que vive ótima fase. Se os dois forem para o Mundial, complica para a seleção brasileira.

Para piorar, a Nova Zelândia, outra integrante do grupo, tem como principal nome o pivô Steven Adams, que é uma dos principais nomes do Oklahoma City Thunder.

Se o sorteio foi cruel com a seleção brasileira, reservou um caminho bem tranquilo para os anfitriões. A China, 31º no ranking da Fiba (Federação Internacional de Basquete), terá Polônia, Costa do Marfim e Venezuela nesta primeira fase. Em um grupo tão fraco como este, o sonho da classificação é bem real.

Anote aí os jogos do Brasil no Mundial:

Grupo F – Nanjing

31/8 – Nova Zelândia x Brasil

2/9 – Brasil x Grécia

4/9 – Brasil x Montenegro

Veja como ficaram os grupos da Copa do Mundo

Os grupos da Copa do Mundo da China (Crédito: Reprodução)

Avançarão para a segunda fase os dois primeiros de cada grupo, que formaram uma nova fase de grupos. Os times do grupo A cruzam com os do B; os do C com as equipes do D e assim por diante, carregando os resultados da primeira fase. Os dois primeiros de cada chave avançarão para os mata-matas.

De olho em Tóquio

A Copa do Mundo de basquete tem importância fundamental na corrida por uma vaga na Olimpíada de Tóquio-2020. Daí a importância para a caminhada da seleção brasileira na competição.

O Mundial dará sete vagas diretas para a próxima Olimpíada. O torneio dará vaga ao melhor time da África, os dois melhores das Américas, os dois melhores da Europa, o melhor da Ásia e o melhor da Oceania. A vaga do campeão mundial entrará na cota do respectivo continente.

Aí que entra a importância do Mundial. Os 16 melhores times após estes sete classificados estarão automaticamente assegurados nos Pré-Olímpicos mundiais de 2020. Serão quatro torneios, com seis equipes em cada, que contarão ainda com dois países de cada região escolhidos por critérios da Fiba.

Independentemente de avançar ou não em seu grupo, o Brasil terá que fazer uma campanha impecável para seguir sonhando em disputar os Jogos Olímpicos de 2020.

VEJA TAMBÉM:

Ranking da Fiba indica vida dura para o Brasil no Mundial da China de basquete 
Com Laís Elena, se vai uma parte importante do basquete feminino do Brasil 
Basquete brasileiro precisa ficar alerta após derrota em casa



MaisRecentes

Todos os campeões da história do Mundial masculino de basquete



Continue Lendo

Brasil no Mundial de basquete merece elogios e profundas reflexões



Continue Lendo