Semana de festa e preocupações na Rio 2016



A Arena Carioca 1 foi inaugurada em meio a uma semana complicada para os organizadores da Rio 2016. Crédito: Daniel Zappe/CPB/MPIX

A Arena Carioca 1 foi inaugurada em meio a uma semana complicada para os organizadores da Rio 2016. Crédito: Daniel Zappe/CPB/MPIX

Esta sexta-feira (15) deveria celebrar uma semana de festa para a organização dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Afinal, começou mais um evento-teste, com a abertura do quadrangular internacional feminino de basquete, que também serviu para inaugurar a Arena Carioca 1, uma das mais belas instalações construídas para o evento, localizada no Parque Olímpico da Barra da Tijuca. Mas não foi apenas isso o que aconteceu.

Uma coleção de problemas, perto da marca de 200 dias para o início dos Jogos (que será alcançada na próxima segunda-feira) rendeu belas dores de cabeça entre os dirigentes que integram o comitê Rio 2016. E todos eles ligados a questões que o COI (Comitê Olímpico Internacional) já acreditava terem sido superadas: atraso nas obras olímpicas.

>>> Leia ainda: Um erro que custou R$ 138 milhões

Primeiro, foi o comunicado divulgado pela Prefeitura do Rio na quinta-feira (14), anunciando o rompimento da parceria com o consórcio formado pelas empresas Ibeg, Tangran e Damiani, responsável pela construção do Centro de Tênis olímpico. O motivo alegado, de acordo com o prefeito Eduardo Paes, foi que o consórcio não estava cumprindo o combinado no contrato. Vale lembrar que o Centro de Tênis ainda não está totalmente concluído (90% das obras estão prontas). Agora a prefeitura, além de aplicar uma multa de R$ 11 milhões no consórcio, terá que fazer uma nova licitação para completar a obra.

>>> Confira o calendário olímpico de 2016

O mesmo consórcio é o responsável pelas obras no Centro de Hipismo do Complexo de Deodoro, que também seguem atrasadas. A empresa segue credenciada pela prefeitura para seguir com esta obra

Nesta sexta-feira (15), o comitê Rio 2016 divulgou comunicado informando que o evento-teste de ciclismo, previsto para acontecer entre os dias 18 a 20 de março, foi adiado, simplesmente porque o velódromo não ficará pronto. O mesmo velódromo que terá como custo total R$ 138 milhões, por conta de várias mudanças no projeto e atraso na execução das obras. A arena está com 76% de suas obras concluídas e por isso o Desafio Internacional de Ciclismo, que servirá como evento-teste, acontecerá entre 29 de abril e 1º de maio.

>>> Veja também: Prefeitura comemora avanço em obras. Mas três delas preocupam

Existem problemas de atrasos ainda nas obras do estádio de remo, na Lagoa Rodrigo de Freitas, e recentemente o próprio Comitê Rio 2016 declarou que irá bancar as reformas no ginásio do Maracanãzinho e no Parque Aquático Julio Delamare, que seria de responsabilidade da Concessionária Maracanã, que poderá devolver o complexo ao estado. Custo destas obras ficarão em R$ 40 milhões.

Uma semana que poderia ser de festa e terminará com uma dose extra de preocupações aos organizadores das Olimpíadas Rio 2016, justamente na reta de chegada para a grande festa do esporte mundial.

 

 

 



MaisRecentes

Se revogar a suspensão da Rússia, o COI perderá o respeito no combate ao doping



Continue Lendo

As falhas de Isadora Williams não diminuem sua grandeza em PyeongChang



Continue Lendo

Campeã olímpica Rafaela Silva sofre racismo da PM no Rio de Janeiro



Continue Lendo