Seleção feminina de vôlei não pode ver um tie-break pela frente



Dizem que contra números não há argumentos. Como eu sou teimoso, digo que há, sim!

A derrota de hoje da seleção feminina de vôlei para os Estados Unidos na Copa do Mundo, novamente após um tie-break, mostra que a equipe brasileira sofre de alguma síndrome de amarelite aguda ou bloqueio mental na hora decisiva de uma partida.

Listei 19 partidas envolvendo a seleção brasileira desde 2000, todas decididas no quinto set. Dez foram vencidas pelo time brasileiro. Só que somente duas, no Grand Prix de 2005, ocorreram na fase decisiva (detalhe: a última etapa do Grand Prix foi disputada em turno único, pontos corridos).

Em compensação, nas derrotas, seis delas aconteceram na reta de chegada das competições. Duas foram nas próprias decisões dos torneios, como no Mundial de 2006, para a Rússia, ou na final do Pan do Rio, para Cuba. Sem contar semifinais, como novamente para a Rússia (Olimpíadas de Atenas/04) e Cuba (Olimpíadas de Sydney/00).

Acho que este time precisa de um bom psicólogo. No mínimo.

crédito da foto: divulgação/FIVB



  • Nicolau

    É oficial, depois desse jogo desisti pra sempre do vôlei feminino. Elas não merecem minha torcida!

MaisRecentes

‘Seleção feminina chegará muito forte para Tóquio-2020’, afirma dirigente do rúgbi



Continue Lendo

Entenda como foi a bizarra mudança no nome da Federação Mundial de taekwondo



Continue Lendo