Robert Scheidt desiste de Tóquio-2020 por família e falta de resultados



Um dos maiores atletas olímpicos da história do Brasil, Robert Scheidt confirmou há pouco, no “Esporte Espetacular”, da Rede Globo, que não seguirá na corrida olímpica para os Jogos de Tóquio-2020. A falta de resultados em sua nova  classe, a 49er, e a família, acabaram pesando nesta decisão.

Nesta terça-feira (17), o velejador dará mais detalhes sobre o seu futuro, em uma coletiva de imprensa no Yacht Club Santo Amaro, em São Paulo.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga 

Aos 44 anos, dono de cinco medalhas (recordista ao lado de outro monstro da vela, Torben Grael), Scheidt vinha sofrendo para conseguir resultados satisfatórios na 49er, ao lado de Gabriel Borges. Ele analisou que para chegar ao top 10 até a Olimpíada de Tóquio, precisaria treinar o dobro de dias do que faz atualmente. Isso atrapalharia a convivência com a família e o ritmo pesado poderia trazer lesões mais complicadas de tratar com a idade.

Em fevereiro, após o fraco desempenho em sua primeira competição na nova classe, na etapa de Miami da Copa do Mundo, o blog já colocava em questão se Schedit teria ânimo e fòlego para cumprir mais uma campanha olímpica.

Agora, Robert Scheidt deverá se dedicar mais à vela oceânica, além de participar de provar na classe Star, que já foi olímpica, mais especificamente no campeonato da SSL, no Caribe, em dezembro. O brasileiro pretende  disputar algumas provas na laser, porém apenas para manter a forma. O foco, contudo, deve ser a vela oceânica profissional, de onde inclusive vem analisando alguns convites.

Em Jogos Olímpicos, Robert Scheidt tem nada menos do que cinco medalhas, recorde no Brasil juntamente com Torben Grael. Foram duas de ouro na laser em Atlanta-1996 e Atenas-2004, duas de prata em Sydney-2000 (laser) e Pequim-2008 (star) e uma de bronze, em Londres-2012. Tem ainda 13 títulos mundiais, sendo dez na laser e três na star.

O esporte olímpico brasileiro deve todas as reverências à Robert Scheidt.

LEIA MAIS SOBRE ROBERT SCHEIDT:

O grande dilema de Robert Scheidt 
Vela do Brasil aposta em estrelas na largada para ciclo de Tóquio-2020 
Conheça os locais de treinamento do Brasil para a Olimpíada de Tóquio



MaisRecentes

Começa Mundial de wrestling e Brasil sonha repetir feito histórico



Continue Lendo

Qual o verdadeiro legado da Olimpíada da Juventude?



Continue Lendo