Rebeca Gusmão dividida entre brincar de Ronaldo Fenômeno e Fantomas



Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 31 de outubro do Diário de S. Paulo

O dilema de Rebeca Gusmão

A cena era constrangedora: visivelmente fora de forma (14 quilos acima do peso normal), Rebeca Gusmão posava para fotos e câmeras de TV na semana passada, brigando para fazer embaixadas com uma bola de futebol. O uniforme (camiseta, calção e chuteiras) era completamente diferente dos maiôs que ela se acostumou a usar nos últimos 18 anos dedicados à natação. Mas que ninguém se engane: dentro de campo, Rebeca ainda é um peixe fora d’água e se apega ao futebol como uma espécie de plano B, enquanto não tem julgado seu recurso na CAS (Corte Arbitral do Esporte), que no mês que vem pode eliminá-la definitivamente do esporte por uso de doping.

Suspensa duas vezes após exames realizados em 2006 e 2007 apontarem altos níveis de testosterona em seu organismo, Rebeca Gusmão aguarda a definição de seu futuro preparando-se para atuar como atacante no time da Ascoop (Associação do Cooperativismo de Brasília) em uma liga amadora da cidade. O problema é que se for condenada também no recurso, Rebeca estará proibida de participar de qualquer modalidade olímpica por toda a vida. Para quem já declarou que sonha em um dia vestir a camisa da seleção brasileira feminina caso não possa mais voltar a nadar, seria uma frustração sem tamanho. Será que vale a pena ela passar por tudo isso?

Um mico atrás do outro

Enquanto aguarda ansiosa a definição de sua carreira como esportista, Rebeca Gusmão ainda é obrigada a passar por alguns micos. Reportagem publicada esta semana no DIÁRIO, assinada pelo repórter Luiz Augusto Lima, conta que a nadadora foi convidada a participar da tradicional academia de luta livre Gigantes do Ringue, comandada por Michel Serdan, sucesso na TV nos anos 60 e 70. Segundo Serdan, como a luta livre é entretenimento, Rebeca poderia participar perfeitamente da atração.E o pior é que Rebeca não descarta aceitar o convite!

Propaganda negativa

Como se não tivesse problemas de sobra, o basquete paulista ainda tenta melhorar a imagem após a baixaria dos jogadores Bruno e Tiago, do Casa Branca, que na semana passada agrediram o árbitro Maurício Antunes a pontapés, no jogo contra o Bauru, pelo Campeonato Paulista, na semana passada. Os dois brigões estão suspensos até o julgamento da Comissão Disciplinar da Federação Paulista de Basquete (FPB), ainda sem data marcada.

Fórmula esdrúxula

A CBV, que diz contar coma aprovação de clubes e atletas, repete este ano o regulamento da Superliga, com a realização de quatro mini-torneios antes do mata-mata decisivo. E ainda piorou um item em relação à ultima edição: as duas finais (masculino e feminino) serão jogadas no Maracanãzinho, não importa quem sejam os participantes.

Foto: Rebeca Gusmão comemora uma de suas medalhas de ouro no Pan do Rio-2007
Crédito: divulgação/CBDA

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sexta-feiras no Diário de S. Paulo



MaisRecentes

Olimpíada da Coreia ‘unificada’ começa a ser discutida em fevereiro



Continue Lendo

Confira o vídeo oficial dos Jogos Pan-Americanos Lima-2019



Continue Lendo