O raio de Bolt se despede de sua torcida



No mesmo Estádio Nacional de Kingston, onde em 2002 surgiu para o mundo, ganhando o título mundial junior com apenas 15 anos de idade, Usain Bolt inicia o caminho do adeus. O homem mais rápido do planeta, o único a ganhar em três edições seguidas das Olimpíadas a medalha de ouro nos 100 e 200 m, fará neste sábado (início da madrugada de domingo no Brasil) sua última competição na Jamaica.

Bolt escolheu a dedo o roteiro para marcar seu ano de despedida das pistas. O atleta mais carismático do mundo abrirá seu tour derradeiro no atletismo mundial justamente diante de sua torcida. E o maior ídolo nacional depois do cantor Bob Marley terá tratamento de herói durante o Racers Grand Prix, competição que reúne provas de velocidade e meio fundo. A largada dos 100 m será o ponto alto da noite, a partir das 22h10 (0h10 de domingo, horário de Brasília).

Para se ter uma ideia de como os jamaicanos estão encarando o meeting deste sábado, a prova de Usain Bolt tem o nome de “Salute to a legend” (saudação a uma lenda).

Sim, as 30 mil pessoas que são aguardadas para acompanhar o evento sabem que um extra-terrestre está próximo do adeus. Após a competição na Jamaica, Bolt terá somente outras três competições em seu calendário: o meeting de Ostrava (República Tcheca), no próximo dia 28; a etapa de Mônaco da Liga Diamante, no dia 21/7; e o Campeonato Mundial de atletismo,em Londres, entre 5 e 13 de agosto.

“Eu vou sentir falta da torcida. Eu gosto de brincar com a multidão, sentir sua energia. Com certeza é disso que mais sentirei falta no atletismo”, afirmou Bolt esta semana. Aos 30 anos, ele ainda se lembra de seu primeiro momento de glória no atletismo, justamente diante de sua torcida, quando mesmo correndo de uma forma toda desengonçada, contra rivais pelo menos três anos mais velhos, faturou o Mundial Junior.

“A última vez em frente a minha torcida e em casa. Sei que vai ser muito barulho”, brincou.

Mas que ninguém pense que Bolt terá moleza no adeus, Embora seu rival jamaicano Asafa Powell tenha desistido, por causa de uma lesão, ainda assim a turma que dividirá raia com a estrela da noite é qualificada. Nesta Carter, Michael Frater, Nickel Ashmeade e Yohan Blake, todos companheiros de seleção jamaicana, estarão lá. O sul-africano Akani Simbine, que já correu seis vezes abaixo dos 10s nesta temporada.

Para completar a festa em homenagem a Bolt, outras estrelas do atletismo mundial também participarão do meeting, como o britânico Mo Farah (bicampeão olímpico dos 5 mil e 10 mil metros) o queniano David Rudisha, bicampeão nos 800 m, a australiana Sally Person e a americana Allyson Felix.

VEJA TAMBÉM:

Nunca duvide de um gênio como Usain Bolt 
Rudisha vai atrás de novo ouro em Tóquio. Conheça outros tricampeões no atletismo 
Para resgatar credibilidade, atletismo pode ‘apagar’ recordes históricos 
As aposentadorias precoces no esporte olímpico



MaisRecentes

Saída de Nuzman já repercute positivamente dentro das confederações



Continue Lendo

Basquete masculino brasileiro bebe na fonte certa para tentar se reerguer da crise



Continue Lendo

O calote do Comitê Rio-2016 é uma vergonha que ficará para sempre



Continue Lendo