Quer dizer que sem a grana do Pré-sal não tem Olimpíada? E só agora dizem isso?



Antes de dar o meu pitaco, reproduzo nota oficial do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), emitida nesta segunda-feira, a respeito da polêmica da lei que transita no COngresso Nacional a respeito dos royalties do Pré-sal (os grifos em negrito são do blog):

RIO 2016 – NOTA OFICIAL

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 vem a público para esclarecer sua posição sobre as conseqüências da aprovação, pela Câmara de Deputados, de um novo modelo de repartição das receitas da exploração do petróleo em território nacional.

Durante o processo de candidatura, o governo brasileiro apresentou um conjunto de garantias que passou a fazer parte do contrato assinado com o Comitê Olímpico Internacional e se tornou obrigação do Estado Brasileiro, representado pelos governos federal, estadual e municipal, de acordo com as suas respectivas competências constitucionais.

A redução da receita da exploração do petróleo deixará o Estado do Rio de Janeiro sem condições de fazer as obras necessárias para os Jogos Rio 2016. Qualquer decisão que afete a capacidade do Estado do Rio de Janeiro de cumprir várias obrigações tem impacto negativo na organização dos Jogos e, se não for remediada, representará uma quebra de contrato.

O Comitê Rio 2016 tem plena confiança de que os poderes legislativos levarão esses fatos em consideração, evitando que o país, em uma volta ao passado, descumpra obrigações assumidas.

O Comitê Rio 2016 se coloca à disposição do governador Sergio Cabral para lutar pelos direitos do Rio de Janeiro e pelo fiel cumprimento das obrigações assumidas em contrato internacional.

Carlos Arthur Nuzman
Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016
Presidente


Quer dizer, cara-pálida, que diante do que está escrito na nota oficial do COB, sem a grana do Pré-sal, o Brasil não terá os Jogos Olímpicos em 2016? Será que a tal palestra dada pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, que encantou os membros do COI em Copenhague, em outubro do ano passado, tinha como garantia fundamental do governo estes recursos? A única forma de se garantir as Olimpíadas aqui seriam com estes recursos? Não existe um plano B?

Se todas estas minhas suposições forem mesmo verdade, o Governo brasileiro se meteu em uma bela enrascada ao bancar a realização dos Jogos de 2016. Do contrário, tem um cheiro de chantagem barata ao Congresso Nacional.



  • Já estava com medo das Olimpíadas e Copa do Mundo no Brasil, agora o medo dobrou, pois pode ser um fisco enorme!