Programa Laguna Olímpico #3 no ar



Já está no ar a terceira edição do programa Laguna Olímpico, com um resumão do que aconteceu na semana. O programa pode ser visto no canal do blog no Facebook ou ainda no YouTube. Lá, você pode conferir também as demais edições.

Nesta semana, a desistência de Budapeste em concorrer na disputa pelos Jogos Olímpicos de 2024 foi o principal destaque. O COI (Comitê Olímpico Internacional) se vê diante de um mico: apenas duas cidades seguem na briga, Los Angeles e Paris. A eleição acontecerá no próximo dia 13 de setembro, em Lima (Peru), na Assembleia do COI.

Outro assunto abordado no programa foi a definição dos candidatos a melhor atleta de 2016 do Prêmio Brasil Olímpico. No masculino, estão concorrendo Thiago Braz (atletismo), Sérgio Escadinha (vôlei) e Isaquias Queiroz (canoagem velocidade). Entre as mulheres, concorrem Martine Grael e Kahena Kunze (vela), Rafaela Silva (judô) e Poliana Okimoto (maratona aquática).

Os problemas de falta de apoio financeiro para atletas e confederações olímpicas brasileiras também foi tema no programa. Uma declaração do atirador esportivo Felipe Wu, lamentando a visão imediatista no esporte brasileiro, foi ponto de partida para a discussão. Mas existem casos de entidades que ainda estão conseguindo alternativas neste mercado retraído, como o rúgbi.

Confira o vídeo do programa:

VEJA TAMBÉM:

Falta patrocinio no esporte brasileiro? O rúgbi não tem do que reclamar
Sonho de Budapeste para os Jogos de 2024 pode terminar nesta quarta-feira
O mundo mudou. Só o COI não percebeu
“Infelizmente, nosso esporte é muito imediatista”, diz Felipe Wu