Presidente da Federação Aquática Paulista quer ficar de bem com Carlos Nuzman



“Eu faço parte de um sistema e não posso ter um diretor que brigue com o chefe”

Explicação de Miguel Carlos Cagnoni, presidente da Federação Aquática Paulista (FAP) a Alberto Murray Neto, opositor do presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, por tê-lo excluído da lista de diretores da entidade, em virtude das duras críticas de Murray Neto à administração da entidade que comanda o esporte olímpico brasileiro.



  • É a ditadura olimpica elimando mandatos, como faziam os tiranos de 64. E alguns submentendo-se a isso. Eu quero que a FAP se lixe. O que me entristece é ver gente que prefere aderir a lutar. Obrigado. Um abraço.

  • Trata-se, sem dúvida, de um claro exemplar de um “Bundão”. Ao contrário de jaguatiricas, lobos-guarás e afins, o Bundão está longe da extinção e se reproduz como um coelho no mundo esportivo.

MaisRecentes

Governo rebatiza programa ‘Atleta Pódio”, de olho em Tóquio-2020



Continue Lendo

Tragédia das enchentes no Peru deixa Pan de Lima-2019 na berlinda



Continue Lendo