Prêmio para a incompetência



Iziane, a cara da seleção no Mundial da Rep. Tcheca/Crédito: CBB

Parabéns, CBB! Parabéns Carlos Nunes, presidente da CBB! Parabéns, Hortência Marcari, diretora de basquete feminino da CBB! Parabéns Iziane, a craque diferenciada que não aceita ficar no banco de reservas…

O Brasil, que acaba de ser derrotado pela República Tcheca e está eliminado do Mundial feminino de basquete, pagou um preço alto demais pela sua incompetência em se preparar para o futuro. Os dirigentes, não importa a gestão, não se tocaram que um dia a geração de ouro formada por Paula, Hortência (a jogadora, não a péssima dirigente), Janeth, Marta etc, iria acabar. Não se preocuparam em criar um trabalho de base decente, em criar condições para ter um campeonato nacional decente. Nada foi feito e o que é pior, nada parece que será feito.

Na conta da atual administração da CBB, ficará marcada a atrapalhada troca de comando na seleção feminina e da forma pela qual isso aconteceu; a fritura pública a que o ex-técnico Paulo Bassul foi submetido; a escolha de um espanhol (Carlos Colinas) sem capacidade de comandar a seleção brasileira; e a aposta em um elenco envelhecido e com uma jogadora como Iziane, sem condição moral de vestir novamente a camisa do Brasil.

O basquete feminino brasileiro vai brigar agora do 9º ao 12º lugar. Pelo que a seleção apresentou na República Tcheca, está bom demais.



  • Frederico Batalha

    Laguna,

    Parabéns pelo seu comentário, concordo com tudo o que você escreveu!

    Abraços,

    Frederico Batalha

  • Grande Fred, valeu rapaz!

    O basquete feminino está caminhando para a mesma mediocridade do masculino – com a desvanatgem de não ter os telentos de um varejão, Splitter, Leandrinho, nenê, Huertas…

    Valeu pela audiência.

    abs

MaisRecentes

Qual sua dupla de mascotes preferida para os Jogos de Tóquio-2020?



Continue Lendo

Eliminação no Mundial precisa servir de aprendizado para o handebol do Brasil



Continue Lendo