Por que não apostar em Marcel?



Coluna Diário Esportivo, publicada na edição de 23 de outubro do Diário de S. Paulo

O próximo dia 25 de novembro promete ser fundamental para definir os rumos do basquete masculino brasileiro. Especialmente em relação ao Campeonato Mundial masculino de 2010, que acontecerá na Turquia. Será neste 25 de novembro que o presidente da Confederação Brasileira de Basquete (CBB), Carlos Nunes, irá se reunir com o técnico Moncho Monsalve na Espanha. O objetivo do encontro será a renovação do contrato do veterano treinador espanhol com a CBB, que terminou após a vitoriosa participação da seleção na Copa América de Porto Rico.

Mas do que o aumento salarial (justo, diga-se de passagem), o que pode emperrar a permanência do espanhol é seu estado de saúde. Aos 64 anos, Moncho passou por uma complicada cirurgia na coluna e a recuperação deve levar meses. Um tempo que pode ser fatal no planejamento da seleção para o Mundial, quando o Brasil tentará apagar o vexame da última participação, no Japão em 2006, quando ficou num vexatório 19º lugar.

Diante da incerteza da continuidade do trabalho de Moncho, penso que já seria a hora da CBB pensar num plano B. E modestamente lanço aqui minha sugestão: por que não Marcel de Souza para o cargo? Estrela do basquete nacional nos anos 70 e 80 e com um promissor início de carreira como treinador, Marcel estava afastado das quadras, dedicado à medicina. Mas já avisou em que em 2010 voltará ao basquete, comandando o time de Barueri. Seria uma ótima aposta na seleção. Abre o olho, CBB!

Foto: Divulgação/CBB

A coluna Diário Esportivo, assinada por este blogueiro, é publicada às sextas-feiras no Diário de S. Paulo


MaisRecentes

Qual sua dupla de mascotes preferida para os Jogos de Tóquio-2020?



Continue Lendo

Eliminação no Mundial precisa servir de aprendizado para o handebol do Brasil



Continue Lendo