Política ameaça futuro de Scheidt e Grael nas Olimpíadas de 2016, no Rio



 

Scheidt (com Prada): ameaçado de não disputar a Rio-16 na class Star

O Comitê Olímpico Brasileiro, que tem PhD em fazer lobby – a conquista para a sede das Olimpíadas de 2016 é a maior prova disso – precisa abrir bem o olho se não quiser levar uma rasteira e ver o Brasil ficar sem uma medalha quase certa nos Jogos Olímpicos do Rio. Um movimento, encabeçado pelos países da Oceania (sobretudo Austrália e Nova Zelândia) e da Ásia, tenta tirar do programa olímpico das Olimpíadas brasileiras a classe Star no iatismo. Por interesse político, os cartolas querem simplesmente alijar a prova onde competem Robert Scheidt e Torben Grael, ambos campões olímpicos (Scheidt, no caso, na Laser).

>O movimento iniciado pelos países da Oceania e da Ásia já preocupa Scheidt, que tomou a iniciativa de mandar uma carta para a Federação Internacional de Vela (Isaf), mostrando os argumentos a favor da manutenção da prova.

Os delegados da Isaf que propuseram a exclusão da classe Star argumentam que o objetivo é diminuir o número de atletas nas Olimpíadas (tendência que vem sendo seguida em outras modalidades) e, por isso,  nada melhor do que excluir uma classe inteira do programa da vela.

Mas o que pode estar por trás desta intenção é diminuir a força de outros países fora da Ásia e Oceania, que não tem iatistas de alto nível na Star. ” Brasil tem cinco medalhas olímpicas conquistadas na Star, quatro com Torben e uma com a gente (Robert Scheidt e Bruno Prada ficaram com a prata em Pequim/2008). Seria um baque muito grande para a vela nacional e acho que também para os organizadores dos Jogos e o próprio COB. Nossa batalha tem de ser pela manutenção da 11ª classe, como em Londres”, observou Scheidt.

Se tudo isso não bastasse para o COB mexer seus pauzinhos políticos, há um outro argumento importante: a Star tem presença no programa olímpico desde os Jogos de 1932, em Los Angeles. Não se atira uma história dessa no lixo.!

Ô Nuzman, dá um jeito de garantir a classe Star em 2016, pô!



MaisRecentes

As falhas de Isadora Williams não diminuem sua grandeza em PyeongChang



Continue Lendo

Campeã olímpica Rafaela Silva sofre racismo da PM no Rio de Janeiro



Continue Lendo

Heróis de PyeongChang #5: seleção americana feminina de hóquei no gelo



Continue Lendo