Perguntar não ofende



Ao invés de doar R$ 10 milhões para a candidatura do Rio para ser sede das Olimpíadas de 2016, que dificilmente sairá vencedora, não teria sido melhor que o empresário Eike Batista tivesse destinado esta dinherama toda para ajudar a melhorar a vida de atletas que sofrem com a falta de patrocínio, como a judoca Ketleyn Quadros? Ou então bancar o tratamento da ginasta Jade Barbosa, que sofre com uma lesão crônica no pulso direito?



  • Talvez pq na ‘troca de favores’, atletas como a Ketleyn e a desamparada Jade pouco possam ‘oferecer’. Esses caras não saem perdendo nunca, Laguna. Dez milhões que certamente deverão ser ‘revertidos’… sabe-se lá como…

  • Marcelo, seria sim. Por isso eu perguntei no meu Blog qual será a contra partida que o Eike vai ganhar? O Comitê disse que falaria sobre isso. Mas até agora silencia. Que o Rio não vai ganhar os Jogos é fato. Mas também é verdade que ou o Eike é Bocó de Mola, ou ele vai reverter, com lucros, essa quantia investida, como diz o Éverton, sabe-se lá como. Ele é empresário e nunca teve nada a ver com o esporte olímpico.

MaisRecentes

Sonho de Budapeste para os Jogos de 2024 pode terminar nesta quarta-feira



Continue Lendo

Falta patrocínio no esporte brasileiro? O rúgbi não tem do que reclamar



Continue Lendo

Oscar Schmidt no All-Star da NBA alivia a depressão do basquete brasileiro



Continue Lendo