Perguntar não ofende



Com a decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS) de não se considerar competente para julgar o primeiro processo de doping da nadadora brasileira Rebeca Gusmão (foto), alegando que “não havia jurisdição suficiente para analisar o caso”, como a Federação Internacional de Natação (Fina) e a Confederação Brasileira da modalidade (CBDA) irão se comportar daqui para frente? Já há quem levante a possibilidade de, se for absolvida pela Fina também, Rebeca poderá até competir nos Jogos Olímpicos de Pequim.

É bom que se diga que Rebeca ainda será julgada pela Fina em outros dois processos: suspeita de doping por um exame realizado no Pan-Americano do Rio, em 2007, e por fraude em outro exame, que apontou a presença de um duplo DNA, na mesma competição.
Foto: divulgação/CBDA



MaisRecentes

Liberação da Fiba é o mais novo título mundial do basquete brasileiro



Continue Lendo

Herói olímpico dos EUA desafia escândalo sexual no Mundial de taekwondo



Continue Lendo

Com medalhista olímpico, Brasil estreia sábado no Mundial de taekwondo



Continue Lendo