Perda de patrocínio de Diego Hypólito é crônica de uma morte anunciada



Uma notícia chamou a atenção neste início de ano, justamente uma época na qual não se tem notícia de nada: Diego Hypólito inicia a temporada de 2009 sem patrocínio.

O melhor ginasta brasileiro e campeão mundial no solo não terá mais o apoio da assistência médica Golden Cross. Agora, Diego terá que iniciar sua preparação para o Mundial da Inglaterra tendo que se preocupar também em achar um novo patrocinador.

Só não entendi o espanto de jornais e sites brasileiros com a notícia. Tudo bem que com falta de assunto, qualquer notinha costuma virar abre de página, como costumamos a dizer no jornalismo. Mas daí a quererem transformar isso numa grande manchete, é outra história.

O problema é que não deve surpreender a ninguém a perda do patrocínio de Diego Hypólito. Há muito tempo que isso ocorre com os principais atletas brasileiros. No período próximo das grandes competições, algumas empresas brigam para agregar suas marcas aos grandes ídolos do esporte brasileiro.

Só que, com o fim destas competições, algumas destes mesmas empresas (não todas, justiça seja feita) mostram que não passam de verdadeiros abutres e deixam estes mesmos atletas na mão. Para depois, novamente às vésperas de um grande evento esportivo, decidirem voltar a patrocinar este mesmo atleta.

Esta é a triste realidade do esporte brasileiro.



  • Gran post, bueno me pasaba para saludar. Un abrazo.Un nuevo Post:< HREF="http://abran-cancha.blogspot.com/2009/01/otra-locura-del-narign.html" REL="nofollow">Otra locura del Narigón<>< HREF="http://www.abran-cancha.blogspot.com/" REL="nofollow">http://www.abran-cancha.blogspot.com<>

  • Meu caro, a notícia me chamou atenção por se tratar de um grande ginasta, apesar de seu fiasco nas Olimpíadas. Agora, só fiquei na dúvida se a Golden Cross já não estava há algum tempo com o Diego. Se estivesse, acredito que aí ela não entraria nessa sua tese.Mas, sinceramente desconheço o tempo de parceria entre o atleta e a empresa.Um outro ponto que poderia ajudar os atletas amadores do país é valorizar o parceiro que demonstra fidelidade, não abrindo as pernas no momento das grandes competições. Mas, sei tbm que isso é meio utópico, pois ninguém rasga dinheiro e uma grana a mais é sempre bem-vinda… abraçoSalgueiro

  • Anônimo

    É lamentável a situação do esporte no país, sem vontade política a coisa não anda mesmo. Agora, eu li uma reportagem no site UOL notícias (http://esporte.uol.com.br/ginastica/ultimas/2009/01/24/ult803u810.jhtm) em que o Diego diz q a situação está tão difícil que a Jade, por exemplo, está tendo que andar de ônibus, bem, que o nosso transporte público é deplorável, todos sabem, agora, a ponderação dele sugere que quem é usuário de ônibus é um pobre coitado. Sr. Diego, um pouco mais de cuidado ao falar, pois em países como a Holanda por exemplo, metrô, ônibus e bicicleta são os meios de locomoção convencionais.Boa sorte para ele e os demais atletas!

MaisRecentes

Confira todas as medalhas do Brasil nos mundiais de esportes aquáticos



Continue Lendo

Uma Olimpíada em 13 cidades? Acredite, esse é o sonho da Alemanha



Continue Lendo