Pequim-08: prova histórica mantém vivo o sonho de Michael Phelps



Se realmente confirmar as previsões e superar o aparentemente insuperável recorde de sete medalhas de ouro conquistadas por Mark Spitz em Munique-72, o nadador norte-americano Michael Phelps terá que reservar boa parte dos agradecimentos ao companheiro de equipe Jason Lezak.

A final de domingo à noite (segunda-feira em Pequim) do revezamento 4 x 100m livre é daquelas para entrar na história dos Jogos Olímpicos. A disputa entre as equipes dos EUA, França e Austrália foi eletrizante, a ponto de quatro nadadores terem superado o recorde mundial da distância – mas a marca homologada pertence apenas a quem a faz nos primeiros 100m, no caso o australiano Eamon Sulllivan (47s24).

O sonho de Phelps só está de pé porque Jason Lezak fez uma prova impressionante, nadou a distância em 46s06 e ganhou na batida de mão do francês Alain Bernad.

A intensidade com que comemorou a vitória mostra bem a pressão que Phelps está sentindo. E pior é que pode aparecer alguma besta que chamará de decepção a participação do americano, caso ele não consiga superar a marca de Spitz.

Foto: divulgação/Bocog



MaisRecentes

O calote do Comitê Rio-2016 é uma vergonha que ficará para sempre



Continue Lendo

COI volta a se preocupar com os custos dos Jogos de inverno. Mas os de 2026



Continue Lendo

Pole dance, poker e pebolim (ou totó): mais novidades no programa olímpico?



Continue Lendo