Pequim-08: Cadê as amarelonas, hein?



Nos últimos quatro anos, as jogadoras da seleção brasileira feminina de vôlei foi obrigada a conviver com um destes rótulos que torcedores e jornalistas adoram pregar em equipes que não conseguem títulos: amarelonas.

E motivos para isso não faltavam, em especial o jogo semifinal diante da Rússia, nos Jogos de Atenas-04, quando o time brasileiro tinha 24/19 no quarto set e levou a virada.

Também falharam no Mundial-06, no Japão, e no Pan-Americano-07…

Só que hoje não era dia de falhar. Não este time, que até o jogo deste sábado não havia perdido um único set em todo o torneio olímpico. E mesmo com a derrota no segundo set, as brasileiras não se abalaram e conseguiram manter o jogo sob controle.

Um placar de 3 sets a 1 (25/15, 18/25, 25/13 e 25/21) para não deixar margem para constestação.

O vôlei feminino do Brasil conseguiu alcançar sua glória maior, uma medalha de ouro inédita, talvez a mais merecida nestes Jogos. E um prêmio para o comandante deste time, José Roberto Guimarães, o único treinador a se tornar campeão olímpico dirigindo equipes masculina e feminina.

Quem é que era amarelona mesmo?

Foto: Divulgação/FIVB



MaisRecentes

Falta patrocínio no esporte brasileiro? O rúgbi não tem do que reclamar



Continue Lendo

Oscar Schmidt no All-Star da NBA alivia a depressão do basquete brasileiro



Continue Lendo

Após ganhar a vaga no Mundial, polo brasileiro torce para conseguir viajar



Continue Lendo