Valeu, Lima! Muito obrigado



Fogos de artificio são disparados no Estádio Nacional, ao final da cerimônia de encerramento dos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 (Crédito: Divulgação)

Um breve resumo do que este blogueiro presenciou nos últimos 21 dias

Teve muito Cariñito (o tempo todo!).

Teve ônibus atrasado.

Teve buzina e barbeiragem no trânsito.

Teve um deliciosa hospitalidade e educação das pessoas.

Teve ceviche (muito bom!)

Teve voluntário bem-intencionado (e às vezes mal informado).

Teve medalha do Brasil, muita medalha do Brasil.

Teve um dos melhores Pan-Americanos já realizados. Se não em termos técnicos, mas em questão de empatia do público e dos atletas.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

O encerramento do Pan-Americano de Lima-2019, neste domingo (11), foi o fechamento perfeito de uma competição muito bacana e que muita gente achou que não aconteceria. Foi longe de ser perfeita, óbvio. Se para os jornalistas a questão do transporte e deslocamento entre as sedes foi um inferno, do ponto de vista técnico os Jogos de Lima mostraram poucos momentos brilhantes. Ainda assim, tivemos marcas bem interessantes, até recorde mundial batido no tiro com arco. Um recorde de 40 anos nos 200 m feminino foi quebrado pela jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce.

Para o Brasil, o Pan de Lima não poderia ter sido melhor. Campanha histórica, terminando com recordes no total de medalhas e de ouro na história da competição, além de voltar a ocupar o segundo lugar no quadro geral de medalhas pela primeira vez desde 1963, no Pan de São Paulo.

Claro que sempre é bom ganhar, mas é ótimo que o COB (Comitê Olímpico do Brasil) admita que é preciso colocar os pés no chão e não se empolgar com os resultados pensando na Olimpíada de Tóquio-2020. Os resultados da natação, por exemplo, foram excelentes para ajudar na campanha histórica do Pan, mas pouco representam se pensarmos em Jogos Olímpicos. Já o atletismo teve marcas fantásticas, seja com Darlan Romani, no arremesso do peso, ou Alisson Alves dos Santos, nos 400 m com barreiras. Além de campanhas históricas na ginástica artística, taekwondo ou triatlo.

O que importa mesmo agora é curtir as lembranças de um Pan-Americano que foi abraçado pela população de Lima. E o blogueiro, ao som de Cariñito, ficará em recesso até a semana que vem, para recarregar as baterias para o segundo semestre empolgante que o esporte olímpico nos reserva.

Valeu, Lima!