O velho Bira também está entre os imortais do basquete mundial



Depois de bater na trave cinco vezes, finalmente o pivô brasileiro Ubiratan Maciel teve sua indicação aprovada para integrar o Hall da Fama do Naismith Memorial, em Springfield (EUA). A partir desta segunda-feira, o nome de Ubiratan foi aprovado para integrar a lista dos maiores nomes do basquete mundial.

Não que o velho Bira precisasse disso para ser imortalizado na memória dos fãs brasileiros do basquete. Foi um dos maiores pivôs que já vestiram a camisa do Brasil, jogador de uma raça impressionante e que se tornou ídolo de Marcel e Oscar Schmidt, por exemplo.

Integrou a seleção na campanha vitoriosa do bicampeonato mundial de 1963 e ganhou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio/64. Em clubes, foi ídolo no Corinthians, Sírio, Palmeiras e Tênis Clube de São José dos Campos, onde encerrou a carreira. Defendeu ainda o Sprungen, da Itália.

Tive a sorte de entrevista Ubiratan apenas uma vez. Foi em 1997, quando ele participou da cerimônia de lançamento do centro de excelência Rexona, em Curitiba, destinado à formação de novos talentos de vôlei e basquete. Seu nome acabava de ser indicado pela segunda vez ao Hall da Fama, mas ele não se mostrava preocupado com o resultado da votação. Para Bira, o mais importante era o quanto ele ainda tinha o que contribuir para o crescimento do basquete brasileiro.

Agora, Bira entrou de vez para a história.

Os feitos de Ubiratan Maciel

Jogos Olímpicos

Medalha de bronze em Tóquio (Japão – 1964)
4º lugar na Cidade do México (México – 1968)
7º lugar em Munique (Alemanha – 1972)

Torneio Pré-Olímpico

4º lugar (Canadá – 1976)

Campeonato Mundial

Campeão (Brasil – 1963)
Medalha de bronze (Uruguai – 1967)
Medalha de prata (Iugoslávia – 1970)
6º lugar (Porto Rico – 1974)
Medalha de bronze (Filipinas – 1978)

Jogos Pan-Americanos

Medalha de prata em São Paulo (Brasil – 1963)
Medalha de bronze na Cidade do México (México – 1975)
Medalha de bronze em San Juan (Porto Rico – 1979)

Campeonato Sul-Americano

Campeão (Peru – 1963)
Campeão (Paraguai – 1968)
Campeão (Colômbia – 1973)
Vice-campeão (Colômbia – 1976)
Campeão (Chile – 1977)

Pelos clubes:
– Taça Brasil
. Campeão (1965, 1966, 1969, 1977 e 1980)
– Campeonato Paulista
. Campeão (1963, 1964, 1965, 1968, 1969, 1973, 1974, 1975, 1976, 1980 e 1981)

Foto: Divulgação/CBB


MaisRecentes

Qual sua dupla de mascotes preferida para os Jogos de Tóquio-2020?



Continue Lendo

Eliminação no Mundial precisa servir de aprendizado para o handebol do Brasil



Continue Lendo