Proposta de novos esportes para Tóquio 2020 reabre debate sobre gigantismo das Olimpíadas



Nesta segunda-feira (28), o comitê organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 anunciou sua proposta para a inclusão de novas modalidades no programa esportivo. E a surpresa acabou ficando para o número de esportes recomendados pelos dirigentes japoneses: para quem esperava uma ou duas, a lista que foi encaminhada ao COI (Comitê Olímpico Internacional) contém seis esportes: beisebol/softbol, caratê, escalada esportiva, skate e surfe. A decisão final sairá durante a 129ª Sessão do COI, marcada para agosto do ano que vem, no Rio de Janeiro.

Se por um lado a proposta japonesa atende a uma das recomendações da Agenda 20+20, que é a de tentar atrair o interesse de um público mais jovem para os Jogos Olímpicos, por outro bate de frente com outra premissa do documento lançado em novembro do ano passado: combater o gigantismo dos Jogos e, por tabela, o alto custo do mega-evento, considerado o responsável por afastar possíveis cidades interessadas em lançar suas candidaturas.

>>> E mais: Tóquio 2020 divulga lista de candidatos a entrar no programa olímpico

Um total de 474 atletas serão incluídos nos Jogos Olímpicos com a proposta das novas modalidades. Crédito: Tóquio 2020

Um total de 474 atletas serão incluídos nos Jogos Olímpicos com a proposta das novas modalidades. Crédito: Tóquio 2020

As presença do beisebol (masculino) e softbol (feminino) não são nenhuma surpresa. Esportes extremamente populares no Japão, já eram os favoritos a entrar na lista desde que o COI abriu a possibilidade de incluir novos eventos. Assim como o caratê, arte marcial extremamente popular em todo o mundo e que há anos busca sua inclusão no programa olímpico.

Já as demais escolhidas atendem justamente a ideia de tentar rejuvenescer os Jogos Olímpicos com esportes que alcancem mais o interesse da moçada. Não é por menos que surfe e o skate (nas modalidades street e park) foram incluídos na lista. A escalada esportiva (que estará presente nas modalidades bouldering, dificuldade e velocidade combinada) já fez parte do programa esportivo das últimas Olimpíadas da Juventude, em Nanquim 2014.

O problema na divulgação da lista dos organizadores de Tóquio 2020 é que ela vai causar um significativo aumento nos números de atletas participantes dos Jogos Olímpicos. A recomendação do COI, justamente para cortar custos, é que as Olimpíadas não tenham mais de 10.500 atletas participantes. Com as propostas dos japoneses, serão acrescentados 474 atletas casos as seis modalidades sejam aprovadas pelo COI.

>>> Veja ainda: Cartolas do COI dão sinal verde para beisebol voltar às Olimpíadas

Só a título de comparação, as Olimpíadas de Londres 2012 tiveram 10.568 atletas em um total de 302 eventos esportivos. A proposta desta segunda-feira acrescentará mais 18 eventos a um total de 306 que serão realizados no Rio 2016, com a inclusão do rúgbi seven e do golfe.

Agora a “batata quente” está na mão do COI, que pode inclusive sacrificar outras modalidades consagradas, cortando provas já incluídas no calendário para tentar tornar modernizar as Olimpíadas com a ousada lista proposta pelos organizadores de Tóquio 2020.

Respostas, só em agosto de 2016…

 



MaisRecentes

Hipismo ensaia novidades para Tóquio-2020. Até onde irá a revolução olímpica?



Continue Lendo

Saiba porquê o levantamento de peso corre risco de ser cortado das Olimpíadas



Continue Lendo

Ciclistas olímpicos brasileiros participam de festival em São Paulo



Continue Lendo