Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano



Hugo Calderano vem fazendo história no Aberto do Catar (Crédito: ITTF)

Se você não conhece muita coisa sobre tênis de mesa, tem a chance de se atualizar até às 10h30 (horário de Brasília) deste domingo. A partir deste horário, busque no site da ITTF (Federação Internacional de Tênis de Mesa) o link do tempo real e veja em ação o futuro ídolo do esporte olímpico brasileiro. Hugo Calderano, número 15 do ranking mundial, estará decidindo o Aberto do Catar diante do chinês Fan Zhendong, segundo do mundo. Só que a impressionante caminhada de Calderano até esta decisão reforça a certeza de que estamos diante de um fenômeno da modalidade.

Aos 21 anos, o mesa-tenista carioca vem mostrando uma evolução impressionante nos últimos quatro anos. Medalha de bronze na Olimpíada da Juventude de Nanquim-2014, campeão individual e por equipes do Pan-Americano de Toronto-2015, Hugo Calderano voltou a surpreender na Olimpíada Rio-2016. Ao ficar em 9º lugar, igualou o melhor resultado do país em Jogos Olímpicos, que tinha sido conquistado 20 anos antes por Hugo Hoyama. Naquele mesmo ano, encerrou a temporada como 21º melhor do mundo e tudo indicava que chegaria mais longe.

Sofreu com lesões na temporada de 2017 mas voltou com tudo este ano. Para efeito de comparação, o Aberto do Catar seria o equivalente a um torneio Grand Slam do tênis. Os melhores do mundo participam desta competição. E pelo menos dois dos top 4 caíram diante de Calderano.

O primeiro deles foi o alemão Timo Boll. Líder da lista da ITTF por conta de uma mudança no ranking, o alemão é um dos poucos não-asiáticos a conseguir bater os rivais da China, a grande potência do tênis de mesa. Na sexta-feira, pelas oitavas de final, Calderano derrotou Boll por 4 a 1 (11/9, 11/9, 11/8, 7/11 e 12/10), com direito a uma virada no quinto set.

Se o resultado já havia sido surpreendente, neste sábado o brasileiro voltou a dar um show. Após superar o japonês Tomokazu Harimoto, número 12 do mundo, nas quartas, Calderano destruiu o chinês Lin Gaoyuan, quarto do ranking mundial. Mais impressionante ainda foi o placar, um 4 a 0 sem contestação. O narrador da transmissão do site da ITTF estava encantado com o jogador brasileiro, dizendo que “ele estava fazendo história”.

Veja aqui os melhores momentos desta partida

Neste domingo, Hugo Calderano terá um novo chinês pela frente, Fan Zhendong. Só o fato de chegar a uma decisão de Grand Slam já o deixará entre os top 10 do mundo. O resultado pouco importará. A verdade é que estamos vendo nascer um novo fenômeno do esporte brasileiro.

VEJA TAMBÉM:

Calderano espera repetir no Mundial desempenho da Rio-2016 
Aberto do Brasil vale por Hugo Calderano 
Novo ranking motiva Hugo Calderano a buscar marca inédita 
Hugo Calderano perto de superar marca que já dura 60 anos 
Hugo Calderano, anotem esse nome



MaisRecentes

Hugo Calderano se consolida como esperança de medalha em Tóquio-2020



Continue Lendo

Olimpíada da Coreia ‘unificada’ começa a ser discutida em fevereiro



Continue Lendo