Novata é o destaque do judô brasileiro na largada para Tóquio-2020



Steffanie Koyama enfrenta a ucraniana Maryna Cherniak na final dos 48 kg no GP de Tibilisi (Crédito: IJF)

Steffanie Koyama enfrenta a ucraniana Maryna Cherniak na final dos 48 kg no GP de Tibilisi (Crédito: IJF)

A largada do ciclo olímpico para Tóquio-2020 no judô feminino brasileiro já mostrou uma agradável surpresa. Enquanto nomes consagrados como a campeã olímpica Rafaela Silva ou Érika Miranda ainda não emplacaram nenhuma medalha de ouro nas competições realizadas na temporada, surge uma novidade para ser vista com atenção. Aos 21 anos, Steffanie Koyama soma duas medalhas de ouro justamente em sua estreia na Seleção Brasileira.

Atleta na categoria 48 kg – a mesma na qual Sarah Menezes foi campeã olímpica em Londres-2012 e competiu até no ano passado -, Koyama é atleta do Pinheiros e foi confirmada na equipe feminina em janeiro deste ano. E veio logo mostrando serviço. Há três semanas, ela conseguiu um excepcional resultado para uma atleta ainda inexperiente, ao ficar com o ouro no Grand Slam de Baku (Azerbaijão). Nesta sexta-feira, uma nova vitória, desta vez no Grand Prix de Tbilisi (Geórgia).

Importante fazer uma ressalva: por ser o primeiro ano do ciclo até 2020 e início de temporada, as principais atletas da categoria praticamente não competiram ou não participaram dos mesmos eventos em que Koyama brilhou. A argentina Paula Pareto, por exemplo, campeã olímpica na Rio-2016, estreou na temporada somente na semana passada, quando participou do Pan-Americano em Lima (onde venceu).

LEIA MAIS SOBRE TÓQUIO-2020:

Governo rebatiza programa ‘Atleta Pódio’, de olho em Tóquio-2020 
Tóquio-2020 confirma Fukushima como uma das sedes do beisebol 
Clássico de campeãs no judô brasileiro 
As aposentadorias precoces no esporte olímpico 
Rumo a Tóquio-2020: Taekwondo traz medalhas e rúgbi vai bem na Austrália

Mesmo assim, não se pode desprezar os feitos alcançados por Steffanie Koyama. Dois ouros em três competições não é para qualquer um. Em oito combates disputados nas duas campanhas vitoriosas, superou as rivais por ippon (o golpe máximo no judô) em três ocasiões. Nesta sexta-feira, assegurou o título batendo pela segunda vez a ucraniana Maryna Cherniak.

Os bons resultados neste início de temporada já são refletidos no ranking mundial da IJF (Federação Internacional de Judô). Com os 700 pontos conquistados na Geórgia, Koyama dará um salto considerável na classificação, chegando a 1.700 pontos e ocupando o 10º lugar. Dez pontos a menos do que Sarah Menezes, que ainda aparece ranqueada nos 48 kg, mas que poderá ter algum desconto em sua pontuação na próxima atualização. Ou seja, a jovem judoca brasileira pode emplacar um 9º lugar neste início de temporada.

Vale a pena ficar de olho em Steffanie Koyama.