Nova prévia de medalhas coloca Brasil abaixo da meta prevista para o Rio 2016



O mais recente levantamento da Infostrada, empresa holandesa que realiza análise de dados e estatísticas de eventos esportivos, não trouxe uma notícia muito boa para o Brasil em relação à projeção de medalhas para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Pela nova lista, o Brasil aparece com 21 medalhas, com uma diminuição de quatro pódios em relação ao levantamento do mês de agosto. Mas o pior mesmo foi a queda na colocação geral, caindo do 10º para o 11º lugar.

E os grandes rivais para as pretensões do COB (Comitê Olímpico do Brasil) e do Ministério do Esporte, que estabeleceram como meta o top 10 no quadro geral para os Jogos Olímpicos foram Coreia do Sul (24) e Nova Zelândia (23), respectivamente 9º e 10º colocados. Para alcançar uma posição entre os dez primeiros, calcula-se que seja necessário conquistar algo em torno de 25 a 27 medalhas.

>>> E mais: Empresa holandesa prevê Brasil no top 10 em 2016

Pelo levantamento do Infostrada de outubro (que ainda não levou em conta os resultados do Campeonato Mundial de ginástica artística, que está sendo realizado em Glasgow), o Brasil mantém nove medalhas de ouro, o que seria um recorde na história olímpica do país. A maior queda aconteceu no número de medalhas de prata (de 12 para 7) e um leve aumento em bronzes (de 4 para 5).

Ouro no Mundial de Milão, Erlon Souza e Isaquias Queiroz estão na lista do Infostrada para levar medalha do Rio 2016: Crédito: Dilvulgação

Ouro no Mundial de Milão, Erlon Souza e Isaquias Queiroz estão na lista do Infostrada para levar medalha do Rio 2016: Crédito: Dilvulgação

As previsões dos holandeses também colocaram novos protagonistas na briga pelas medalhas. O boxeador Robson Conceição, bronze no último Mundial de Doha (Catar), é apontado como candidato a levar o ouro na categoria 60 kg, assim como a judoca Erika Miranda, na categoria 52 kg. Na lista anterior, ela aparecia como candidata a faturar uma medalha de prata.

Também apareceram desta vez na lista do Infostrada a dupla Isaquias Queiroz e Erlon de Souza, na prova do C2 1000 da canoagem velocidade. A dupla foi ouro no Mundial de Milão, em agosto. Em compensação, sumiram da projeção dos holandeses o nadador Cesar Cielo e a seleção masculina de vôlei, ambos cotados para ouro no último levantamento.

A liderança geral do quadro de medalhas deve ficar com os EUA, com um total de 95 medalhas (40 de ouro, 24 de prata e 31 de bronze), seguido da China, com 84 e Rússia somando 70 pódios.

Confira quais são os medalhistas brasileiros no último levantamento do Infostrada:

Ouro

  • Atletismo: Fabiana Murer – salto com vara
  • Boxe: Robson Conceição – 60 kg
  • Futebol masculino
  • Ginástica artística: Arthur Zanetti – argolas
  • Ginástica artística: Diego Hypólito – solo
  • Judô: Érika Miranda – 52 kg
  • Vela: Martine Grael e Kahena Kunze – 49er FX
  • Vôlei de praia feminino: Larissa/Talita
  • Vôlei de praia masculino: Alison/Bruno

Prata

  • Boxe: Clélia Costa – 51 kg
  • Canoagem velocidade: Isaquias Queiroz/Erlon Souza – C2 1000 m
  • Handebol feminino
  • Maratona aquática 10 km feminina: Ana Marcela Cunha
  • Natação: Thiago Pereira – 200 m medley
  • Natação: Bruno Fratus – 50 m livre
  • Vôlei de praia feminino: Agatha/Bárbara

Bronze

  • Judô: Rafael Silva – Mais de 100 kg
  • Judô: Maria Suelen Altheman – Mais de 78 kg
  • Luta livre feminina: Aline Silva – 75 kg
  • Maratona aquática 10 km masculino: Allan do Carmo
  • Vôlei feminino