Nigéria Abaixo de Zero



As garotas da Nigéria comemoram a inédita classificação para PyeongChang-2018 (Crédito: Reprodução)

Em 1988, quatro atletas da Jamaica deixaram torcedores e outros competidores assustados ao aparecer para tentar disputar a prova do bobsled na Olimpíada de Inverno de Calgary (CAN). Como aquelas malucos, vindos de um país onde a neve não passava nem perto, iriam conseguir entrar na disputa? Pois não só conseguiram como viraram até tema de filme, a adorável comédia “Jamaica Abaixo de Zero”, estrelada pelo falecido ator John Candy. Pois bem, 30 anos depois, veremos a versão feminina, mas vinda da África.

Sim, uma equipe feminina de bobsled da Nigéria assegurou nesta quinta-feira a classificação para os Jogos de PyeongChang, na Coreia do Sul, que serão disputados a partir de 5 de fevereiro.

Veja como foi a classificação das nigerianas:

 


As nigerianas, que se tornarão as primeiras mulheres africanas nos Jogos de Inverno, obtiveram a vaga no trenó de 2 pessoas (2-woman). Elas ficaram em quinto lugar na prova qualificatória realizada em Calgary (olha ela aí novamente!)

A equipe formada por Seun Adigun – que esteve na Olimpíada de verão de Londres-2012, competindo nos 100 m com barreira, no atletismo -, Ngozi Onwumere e Akuma Omeoga precisou fazer uma “vaquinha” para conseguir buscar a vaga. No total, arrecadaram cerca de 130 mil euros, que bancaram os gastos de treinos e competição.

“Nós pertencemos a um continente que nunca imaginou deslizar sobre o gelo a 145 km/h”, afirmou Adigun, ao festejar o feito inédito. As três garotas nigerianas poderão ter a companhia de outra compatriota na Coreia do Sul: Simidele Adeagbo, que busca classificação na prova do skeleton.

VEJA TAMBÉM:

Esportes de PyeongChang-2018: bobsled 
Esportes de PyeongChang-2018: biatlo 
A história das Olimpíadas de Inverno: St. Moritz-1928 
A história das Olimpíadas de Inverno: Chamonix-1924
COI volta a se preocupar com os custos dos Jogos de inverno. Mas os de 2026



MaisRecentes

Hora da parada técnica



Continue Lendo

Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano



Continue Lendo

Dez mulheres olímpicas que deixam o Brasil orgulhoso



Continue Lendo