Apesar da crise financeira, natação vê sua melhor geração em ação no Maria Lenk



Parque Aquático Maria Lenk receberá as provas do Troféu Brasil Maria Lenk de natação (Crédito: Satiro Sodré/CBDA)

Quem gosta de natação não terá do que reclamar nos próximos seis dias. O Troféu Brasil Maria Lenk, que começa nesta terça-feira (16), no Rio de Janeiro, irá atrair a atenção de todos os fãs. O evento ainda nos brindará com uma das melhores gerações na história da modalidade. E convenhamos, a natação do Brasil está mesmo precisando de boas notícias.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

A CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) vem passando por sérios problemas financeiros. A gestão de Miguel Cagnoni admitiu ter débitos que chegam a R$ 7 milhões dos anos fiscais de 2015 e 2016, quando a entidade era comandada por Coaracy Nunes.

Com estas contas abertas, não pode ter acesso aos recursos da Lei Agnelo/Piva. O site especializado Best Swimming detalhou tudo isso após a última Assembleia Geral da entidade, em março.

Para 2019, a CBDA deveria receber do COB (Comitê Olímpico do Brasil) um total de R$ 4.533.173,18 de repasses da lei das loterias. Para piorar o cenário, embora tenha anunciado a renovação do contrato até 2021, os Correios ainda não assinaram o novo acordo e nem deram pista de quando isso irá ocorrer. Menos uma fonte de receita para a CBDA.

Mesmo diante deste cenário nebuloso, dentro d’água a natação do Brasil não tem do que reclamar.

Geração brilhante

Será na piscina que leva o nome de um ícone da natação do Brasil que veremos em ação a maior reunião de talentos numa mesma geração. Não é exagero: nunca houve tanta gente boa nas piscinas brasileiras em uma mesma época.

Estarão em ação, por exemplo, os integrantes do revezamento 4 x 200 m livre, campeões e recordistas mundiais em piscina curta no ano passado. Fernando Scheffer, Luiz Altamir, Leonardo Santos e Breno Correia são quatro representantes de uma safra muito talentosa que vem aparecendo.

Outro que promete brilhar nesta semana é Vinícius Lanza, especialista nos 100 e 200 m borboleta. Recentemente, conquistou dois ouros e uma prata no NCAA, a forte liga universitária americana de natação. Há até um grande nome nas provas de fundo, que não costumam ser o forte do Brasil, o carioca Guilherme Costa, nos 800 e 1.500 m.

O Troféu Maria Lenk também terá nomes mais conhecidos, mas não menos talentosos. Bruno Fratus, nosso principal velocista nos 50 m livre, medalhista do Mundial de Budapeste 2017, está de volta. Em 2018, não competiu no segundo semestre, em razão em uma cirurgia no ombro esquerdo.

Além dele, o torneio também contará com Etiene Medeiros, principal nome da natação feminina e que decidiu se dedicar apenas aos 50 e 100 m livre, pensando na Olimpíada de Tóquio, no ano que vem.

O Troféu Brasil Maria Lenk  também servirá como seletiva para a formação das equipes que irão ao Mundial de Gwangju, na Coreia do Sul, e aos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019.

Ao longo da semana, as provas serão transmitidas pela TV CBDA.

VEJA TAMBÉM:

Porque o Mundial de piscina curta traz otimismo à natação do Brasil em Tóquio 
Veja os esportes do Pan de Lima que dão vagas para Tóquio-2020 
Caos financeiro é o ‘legado olímpico negativo’ do esporte brasileiro 
Ingressos para o Pan de Lima só começarão a ser vendidos no final de maio



MaisRecentes

Saudades do Pan? Veja o calendário de eventos olímpicos até setembro



Continue Lendo

Confira os classificados do Brasil para a Olimpíada de Tóquio-2020



Continue Lendo