Nacional masculino expõe ainda mais a crise no basquete brasileiro



Existe uma teoria – irônica, é claro – que diz o seguinte: sempre se pode piorar o que já está ruim. É o caso do basquete brasileiro, que viu sua crise se aprofundar um pouco mais nesta terça-feira, depois que a Confederação Brasileira da modalidade (CBB) anunciou o sistema de disputa e os participantes do Nacional masculino de 2008. A grande “novidade” é que o principal campeonato de clubes do país só contará com um clube de São Paulo (na verdade um meio-clube), o Ulbra/São Bernardo, cuja sede é em Canoas mas disputa o Paulista pela cidade do ABC.

As demais equipes, entre elas algumas das grandes forças do basquete nacional, como Franca, Assis/Conti ou Paulista/Dix Amico, desistiram da disputa. O motivo? Uma divergência sem solução com a CBB. Os clubes não concordaram com o pagamento de uma taxa de inscrição de R$ 20 mil, valor que servirá para custear as despesas de arbitragem e que depois seria devolvido aos clubes ao final do torneio, segundo a entidade.

Mas os paulistas também exigiam que o estadual tivesse um espaço maior no calendário, o que seria quase impossível no formato do Nacional-2008 – cujo início será dia 6 de janeiro. Como a CBB não abriu mão, e os principais clubes de São Paulo abandonaram o barco.

Neste braço-de-ferro inútil, o grande perdedor será o fã do basquete, que não terá um campeonato brasileiro que reúna, de fato, os melhores times do Brasil. Lamentável.



MaisRecentes

Hora da parada técnica



Continue Lendo

Vem aí um novo ídolo do esporte brasileiro: Hugo Calderano



Continue Lendo

Dez mulheres olímpicas que deixam o Brasil orgulhoso



Continue Lendo