Nacional masculino de basquete: a bagunça não tem limites no torneio da CBB



No domingo, dia 6 de janeiro, publiquei este post no qual previa que o Campeonato Nacional masculino de basquete, que começaria naquela dia, seria o pior da história da competição, graças ao boicote dos times paulistas (que criaram a pouco empolgante Supercopa Nacional) e à presença de equipes sem condições técnicas e financeiras de integrar a elite do basquete nacional.

Bem, mal-humor à parte, não é que as previsões se confirmaram? Na edição de hoje da Folha de S.Paulo, em reportagem assinada por Adalberto Leister Filho (o velho e bom Adalba), mais uma prova da esculhambação deste Nacional. O Iguaçu, do Rio de Janeiro, não conseguiu chegar a tempo de enfrentar o FTC EAD, de Salvador (BA), no último dia 4/03, pelo simples fato do ônibus do time ter quebrado durante os 1.364km do percurso. O jogo estava marcado para às 21h, mas o Iguaçu só chegou às 21h45, quando a partida já havia sido cancelada pelos árbitros do jogo.

O time baiano exige ganhar o jogo por WO. Já os cariocas pedem para que a partida seja remarcada. Aí, quem poderá não comparecer será o FTC EAD (isso lá é nome de time?).

Me tirem o tubo, por favor…



  • Gylson

    Laguna, a coisa tá feia, mas não perca a fé no basquete brasileiro… Se você perder, quem sobrará? Abraço.

  • Olha Gylson, tá difícil de manter a fé, viu? (rs)

  • O basquete nacional está uma vergonha. Dúvido que iremos para Pequim!Abs

MaisRecentes

Governo rebatiza programa ‘Atleta Pódio”, de olho em Tóquio-2020



Continue Lendo

Tragédia das enchentes no Peru deixa Pan de Lima-2019 na berlinda



Continue Lendo