Nacional masculino de basquete: a bagunça não tem limites no torneio da CBB



No domingo, dia 6 de janeiro, publiquei este post no qual previa que o Campeonato Nacional masculino de basquete, que começaria naquela dia, seria o pior da história da competição, graças ao boicote dos times paulistas (que criaram a pouco empolgante Supercopa Nacional) e à presença de equipes sem condições técnicas e financeiras de integrar a elite do basquete nacional.

Bem, mal-humor à parte, não é que as previsões se confirmaram? Na edição de hoje da Folha de S.Paulo, em reportagem assinada por Adalberto Leister Filho (o velho e bom Adalba), mais uma prova da esculhambação deste Nacional. O Iguaçu, do Rio de Janeiro, não conseguiu chegar a tempo de enfrentar o FTC EAD, de Salvador (BA), no último dia 4/03, pelo simples fato do ônibus do time ter quebrado durante os 1.364km do percurso. O jogo estava marcado para às 21h, mas o Iguaçu só chegou às 21h45, quando a partida já havia sido cancelada pelos árbitros do jogo.

O time baiano exige ganhar o jogo por WO. Já os cariocas pedem para que a partida seja remarcada. Aí, quem poderá não comparecer será o FTC EAD (isso lá é nome de time?).

Me tirem o tubo, por favor…



  • Gylson

    Laguna, a coisa tá feia, mas não perca a fé no basquete brasileiro… Se você perder, quem sobrará? Abraço.

  • Olha Gylson, tá difícil de manter a fé, viu? (rs)

  • O basquete nacional está uma vergonha. Dúvido que iremos para Pequim!Abs

MaisRecentes

Se revogar a suspensão da Rússia, o COI perderá o respeito no combate ao doping



Continue Lendo

As falhas de Isadora Williams não diminuem sua grandeza em PyeongChang



Continue Lendo

Campeã olímpica Rafaela Silva sofre racismo da PM no Rio de Janeiro



Continue Lendo