Mundial de revezamentos testa geração promissora do Brasil



O Mundial de revezamentos em Yokohama reunirá cerca de 700 atletas, representando 45 países (Crédito: Iaaf)

Neste sábado (11), a partir das 7h (horário de Brasília), a promissora geração de velocistas do atletismo do Brasil inicia sua participação no Mundial de revezamentos. Em sua quarta edição, desta vez em Yokohama (JAP) – as outras três aconteceram nas Bahamas -, o Mundial será o grande teste que os brasileiros, especialmente do 4 x 100 m, terão pela frente. Será a chance de mostrar que as ótimas marcas obtidas em 2018 não foram fruto do acaso.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog Laguna Olímpico no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Clique e siga

A última temporada foi de fato especial. O time tem como principal destaque Paulo André de Oliveira, dono do melhor tempo do país em 2018 nos 100 metros, com 10s02. A marca é apenas dois centésimos acima do recorde sul-americano na prova, que ainda é do medalhista olímpico Robson Caetano, desde 1988.

O time também é composto por Jorge Henrique Vides (10s08 em 2018), Derick de Souza Silva (10s10), Vitor Hugo dos Santos (10s12) e Rodrigo Pereira do Nascimento (10s14).

A equipe do Brasil no Mundial disputará as provas do 4 x 100 (masculino e feminino) e a estreante 4 x 400 misto (Crédito: CBAt)

O Brasil disputará a primeira série eliminatória da prova, a partir das 9h. Ainda neste sábado, também estarão em ação as duas outras equipes brasileiras. O 4 x 100 m feminino fará a primeira série classificatória, às 8h13. Já a grande novidade do Mundial de revezamentos, o 4 x 400 m misto (prova que será olímpica em Tóquio-2020), terá participação brasileira a partir das 9h22, também na primeira qualificatória da prova. As finais serão no domingo (12), também a partir das 7h.

De olho em Doha

O Mundial de revezamentos servirá como qualificação para o Mundial de atletismo de Doha (QAT), marcado para setembro. Os dez primeiros colocados no 4 x 100 (feminino e masculino), e os 12 primeiros do 4 x 400 misto estarão classificados. Já no Qatar, os oito finalistas de cada uma das provas estarão automaticamente qualificados para a Olimpíada de Tóquio-2020.

VEJA TAMBÉM:

Em prévia de Mundial de atletismo, Liga Diamante dá largada no Qatar 
Erica Sena assegura primeiro índice do Brasil no atletismo em Tóquio-2020 
Atletismo brasileiro tem dia de índices para Mundial e Jogos Pan-Americanos
+ Confira a agenda do esporte olímpico do final de semana