Mundial da Turquia: seleção brasileira tem estreia razoável contra o fraco Irã



Guilherme Giovannoni em ação contra o Irã

Existe uma expressão surrada no jornalismo esportivo que diz o seguinte: estreia é sempre complicada, ainda mais em um Campeonato Mundial. A primeira partida da seleção brasileira no Mundial da Turquia, neste sábado, contra o Irã, não fugiu a esta regra. A vitória de 81 a 65 do time comandado pelo argentino Rubén Magnano engana pela diferença no marcador. Dentro de quadra, o Brasil alternou bons momentos com passagens dignas de se esquecer.

O desempenho da seleção no primeiro e no terceiro quartos foi exatamente o que se esperava: um time mostrando clara superioridade sobre um adversário somente esforçado. O Brasil não deu a menor chance ao Irã nestas duas etapas do jogo. 

O alerta fica ligado em relação ao que o time mostrou no segundo quarto (quando o jogo ficou empatado em 17 a 17) e no último período, quando o Brasil ganhou por um ponto (20 a 19) e mostrou uma preocupante desatenção defensiva. Se o Irã fosse um pouquinho melhor, a diferença no placar seria menor.

Mas como ainda não poderá contar com Anderson Varejão – que só deverá jogar contra os EUA, na segunda-feira -, a tendência é que o Brasil vá evoluindo ao longo da competição. Pelo menos é o que se espera desta seleção.

Crédito da foto: divulgação/CBB



MaisRecentes

O incômodo silêncio dos atletas brasileiros



Continue Lendo

Hipismo ensaia novidades para Tóquio-2020. Até onde irá a revolução olímpica?



Continue Lendo

Saiba porquê o levantamento de peso corre risco de ser cortado das Olimpíadas



Continue Lendo