Brasileiro que superou até o câncer comemora vaga olímpica



Wagner Domingos, o Montanha, cravou seu índice olímpico para a Rio-2016 (Crédito: divulgação)

Wagner Domingos, o Montanha, cravou seu índice olímpico para a Rio-2016 (Crédito: divulgação)

Entre todos os 448 brasileiros já classificados para os Jogos Olímpicos do Rio-2016, poucos talvez tenham uma história de superação tão impressionante quanto a de Wagner Domingos, o Montanha, que neste domingo (19) finalmente conseguiu assegurar sua vaga na delegação do país que estará competindo na próxima Olimpíada.

Ao conseguir o índice no lançamento do martelo durante o Meeting de Celje, na Eslovênia, quando conseguiu cravar a marcar de 78,73 m, novo recorde sul-americano, Montanha também foi o responsável por tornar-se o segundo brasileiro na história olímpica ao participar da prova do martelo, igualando o feito de Carmine Di Giorgi, que competiu em Los Angeles 1932. O grande feito do pernambucano de 32 anos, porém, foi sua superação pessoal.

>>> Confira a lista atualizada de atletas brasileiros classificados para a Rio-2016

Em 2011, meses antes dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, Montanha recebeu os resultados de alguns exames clínicos que havia feito de rotina em seu clube, o BM&F/São Caetano. E o resultado era assustador: Montanha foi diagnosticado com um tumor maligno na bexiga.

O fato da doença ter sido descoberta no estágio inicial ajudou na rápida recuperação do lançador, que inclusive chegou a participar do Pan-Americano, quando ficou em quarto lugar.

>>> E mais: O atletismo brasileiro emociona pelas suas incríveis histórias de superação

O início da carreira de Montanha também foi cheio de desafios. Morador na região da periferia de Recife, costumava treinar usando botijões de gás. “Eu demorava uns 40 minutos de ônibus da minha casa até o local dos treinos. Era difícil treinar duas vezes por dia. Aí eu tive a ideia de usar um botijão vazio, que pesa uns 17 kg, para simular os movimentos do lançamento. E até que funcionava. Fiquei conhecido como o ‘menino do botijão’”, me disse Montanha no ano passado, em uma entrevista que fiz antes de sua participação no Mundial de Pequim, quando obteve a vaga por convite da Iaaf (Associação das Federações Internacionais de Atletismo).

Difícil dizer que Wagner Domingos brigará por medalha nos Jogos do Rio de Janeiro, especialmente por participar de uma prova tão difícil e com pouco tradição no atletismo brasileiro. Mas por tudo o que passou, a conquista da vaga olímpica já pode ser considerada um dos maiores feitos do bravo Montanha.



MaisRecentes

Governo rebatiza programa ‘Atleta Pódio”, de olho em Tóquio-2020



Continue Lendo

Tragédia das enchentes no Peru deixa Pan de Lima-2019 na berlinda



Continue Lendo